início > textos Ano XX - 15 de dezembro de 2018



QR - Mobile Link
INDUSTRIA 4.0 - O DESEMPREGO CAUSADO PELA AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL

INDUSTRIA 4.0 - O DESEMPREGO CAUSADO PELA AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL

DESEMPREGO ESTRUTURAL VERSUS DESEMPREGO CONJUNTURAL

São Paulo, 29/03/2018 (Revisada em 18/05/2018)

Referências: Reformas Trabalhista e Previdenciária - Caminhando para o Trabalho Escravo, A Crise do Desemprego - Estrutural e Conjuntural, A Geração Perdida, O Fim do Emprego.

Por Américo G Parada Fº - Contador - Coordenador do COSIFE

INDUSTRIA 4.0 - TOTVS, ABIMAQ E SENAI EXPLICAM A "MANUFATURA AVANÇADA"
QUE PODE GERAR MISÉRIA POR MEIO DO DESEMPREGO EM MASSA.


Conheça o projeto de Manufatura Avançada implementado por uma equipe de realizadores associados à ABIMAQ, com a TOTVS e o SENAI.

INDUSTRIA 4.0 - O DESEMPREGO CAUSADO PELA AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL

Depois de ler as explicações publicadas por muitos sites indicados pelo Google, quase todos eles com interesses comerciais diretos ou indiretos nas novas tecnologias a serem implantadas, chegou-se à conclusão de que os colaboradores do Wikipédia têm as informações mais dignas de fé pública.

Mediante o aqui escrito em caracteres itálicos, basicamente eles explicam que a primeira revolução industrial mobilizou a mecanização da produção usando água e energia a vapor. A segunda revolução industrial introduziu a produção em massa com a ajuda da energia elétrica. Em seguida veio revolução digital e com o uso de aparelhos e dispositivos eletrônicos, bem como Tecnologia da Informação para automatizar ainda mais a produção.

Nessa 3ª Revolução Industrial as montadoras de automóveis, tendo do Brasil como exemplo, demitiram milhares de operários com a implantação de linhas de produção semi-automáticas, muitas delas comandadas por computadores eletrônicos que passaram a utilizar chips (Circuitos Integrados).

DESEMPREGO ESTRUTURAL VERSUS DESEMPREGO CONJUNTURAL

Segundo o dicionário AULETE, é chamado de Desemprego Estrutural aquele que resulta de uma situação estrutural como aquele desemprego em massa que pode ser provocado pela INDUSTRIA 4.0. Portanto, o Desemprego Estrutural não se baseia em acontecimento eventual. O Desemprego Estrutural acontece quando a oferta de mão de obra em determinado lugar é permanentemente maior que a quantidade de vagas que a atividade econômica pode oferecer. Isto significa que todo aquele que perder seu emprego na indústria poderá fica definitivamente desempregado, tal como aconteceu com muitos dos ex-funcionários das montadoras de automóveis brasileiros. O mesmo vem acontecendo no segmento bancário de grande porte.

Por sua vez, Desemprego Conjuntural é aquele fruto da recessão provocada por políticas econômicas desastrosas que geralmente são adotadas pelos governantes neoliberais por meio da introdução de políticas excludentes (segregacionistas das classes sociais inferiores). Esses neoliberais (e os seus representantes nos Três Poderes da Nação, devidamente convencidos ou corrompidos por importantes lobistas) têm-se revelado como inimigos mortais dos trabalhadores. Demonstram seu desumano ódio aos menos favorecidos mediante a adoção de Políticas Fiscais que visam exclusivamente a redução dos Direitos Sociais dos empregados nas atividades privadas e públicas e, na mediada do possível, transformando-os em desempregados sem direitos trabalhistas e  previdenciários.

NESSE CAOS PROVOCADO PELOS NEOLIBERAIS, ONDE ENTRA A 4ª REVOLUÇÃO INDUSTRIAL?

INDUSTRIA 4.0 ou 4ª Revolução Industrial ou ainda Manufatura Avançada são termos utilizados para definir mais um dos avanços da era industrial iniciada na Inglaterra, seguida pela França. Esta engloba algumas tecnologias para automação (como a informática e a robótica) para desumanizar as linhas de montagens e assim evitar a utilização da mão de obra humana em grande escala, tal como já acontece no Brasil desde a década de 1970. Uma das alegações para o desuso da mão de obra humana é a grande possibilidade de sinistros com danos às pessoas (provocando deficiências físicas e até mentais) e com danos materiais que aumentam significativamente os custos operacionais.

No entender do coordenador deste COSIFE, a nova Revolução Industrial por intermédio da robótica é uma forma de gerar desemprego para as classes sociais inferiores ("C" e "D") e gerar empregos qualificados para as classes superiores ("A" e "B"). Esse entendimento baseia-se em fatos ocorridos na década de 1990 e principalmente no início deste século XXI. Naquela época eram poucas a vagas de emprego para os nossos recém-formados em universitários, razão pela qual neste COSIFE foram publicados os textos:

  1. As Causas do Desemprego e dos Salários com Menor Poder Aquisitivo - maio de 1998
  2. As Crises Econômicas Durante o Governo FHC - novembro de 1998
  3. A Geração Perdida - 15/05/2003
  4. O Fim do Emprego - 06/05/2004
  5. A Crise do Desemprego - Estrutural e Conjuntural - 08/10/2004
  6. Reformas Trabalhista e Previdenciária - Caminhando para o Trabalho Escravo - 18/10/2010
  7. Combate à Inflação com Arrocho Salarial - 04/06/2011
  8. No Brasil os Jovens Podem Cair em Limbo Irreversível - 18/08/2017

Segundo os colaboradores do Wikipédia, o termo "Indústria 4.0" teve origem de um projeto estratégico de alta tecnologia do Governo Alemão, que promove informatização da manufatura.

A FALTA DE MÃO DE OBRA E OS ALTOS CUSTOS DE PRODUÇÃO NOS PAÍSES HEGEMÔNICOS

Parece justo que o Governo Alemão esteja preocupado com a falta de mão de obra de baixa qualidade porque naquele país a população está diminuindo e grande percentual dos alemãs tem elevado nível de estudo técnico e científico. Porém, esses não são os problemas enfrentados pelos brasileiros.

Por causa segregação social dos menos favorecidos, no Brasil, tanto a mão de obra braçal como a mão de obra qualificada só consegue emprego como TERCEIRIZADO ou como ESTAGIÁRIO, respectivamente, com baixíssimos salários. O empresário terceirizado passa a ser um indireto sócio do trabalhador (e direto explorador do trabalhador), só que este não tem participação nos lucros da empresa terceirizada.

Veja como funcionavam as relações entre patrão e empregado nas antigas Sociedades de Capital e Indústria. As empresas terceirizadas, em tese, deveriam seguir esse mesmo conceito.

Torna-se importante destacar que as empresas terceirizadas são transformadas (pelos seus contratantes) em capatazes de mão de obra que trabalha em regime de semiescravidão. E a remuneração da empresa terceirizada acaba saindo do salário recebido pelo trabalhador.

Nestes tempos de total liberação da terceirização da mão de obra, as empresas instaladas no Brasil preferem trocar seus terceirizados ou estagiários a cada 3 ou 6 meses, porque todos os trabalhadores têm semelhantes conhecimentos de nível técnico ou científico. Nosso excesso de mão de obra é o verdadeiro culpado pelo desajuste salarial em relação aos pagos nos países chamados de desenvolvidos que na realidade são colonizadores, verdadeiros exploradores dos países do Terceiro Mundo. Assim são chamados os países colonizados a partir de 1492, ano em que ocorreu o descobrimento da América.

A IMPORTÂNCIA DOS PARAÍSOS PARA QUE HAJA A EROSÃO DAS NAÇÕES

A Alemanha em 2016 tinha perto de 83 milhões de habitantes e o Brasil mais de 200 milhões. Portanto, aqui no Brasil sobra mão de obra em todos os níveis técnicos e científicos, o que reduz o salário médio não somente dos menos qualificados como também diminui a remuneração dos mais qualificados.

Com dados obtidos na internet conclui-se que o Brasil tem a população igual a soma das populações de Reino Unido (Inglaterra + Escócia + Gales + Irlanda), França e Alemanha. Por isso, as fábricas daqueles e de outros países europeus estão aqui no Brasil. Usam a nossa matéria-prima, utilizam-se dos nossos trabalhadores baratos e, com exportações subfaturadas, os seus lucros são contabilizados em paraísos fiscais, sem nenhuma tributação no Brasil.

Em suma, exportamos sem verdadeiros benefícios para o nosso Povo.

Mas, na atual conjuntura mundial, aqueles países hegemônicos também estão sendo prejudicados pelos Paraísos Fiscais. Veja em:

  1. As Elites Globalizantes e a Erosão das Nações II - 19/04/2017 com base em texto de 20/06/2000
  2. Países Desenvolvidos são os Mais Prejudicados pela Ação Danosa dos Paraísos Fiscais - 04/04/2013
  3. Cartel - 10 Corporações Controlam Quase Tudo que Você Compra - 29/03/2014
  4. Desvendada a Rede Capitalista que Domina o Mundo - 25/04/2015
  5. Paraísos Causaram a Falência dos Sistemas Tributários das Nações - 28/04/2015
  6. Cartel - Dez Multinacionais Dominam as Prateleiras dos Supermercados - 19/03/2016

Então, com a implantação da INDUSTRIA 4.0 o futuro de nossos filhos, netos e demais descendentes será bem pior que o nosso presente durante o Governo Michel Temer. A mão de obra considerada desnecessária (desempregada) aumentará o número de favelas, com o consequente aumentando a criminalidade da mesma forma como já vem acontecendo principalmente a partir da década de 1990.

Isto significa que somente os privilegiados membros das classes sociais superiores ("A" e "B") terão empregos e os membros das classes sociais inferiores ("C" e "D") serão deixados ao "Deus Dará".

A 4ª REVOLUÇÃO INDUSTRIAL PODE ACARRETAR O CAOS ECONÔMICO E SOCIAL

Pergunta-se: A quem os industriais pretendem vender os produtos industrializados nessa 4ª era industrial?

As Classes Sociais "A" e "B" nos países desenvolvidos não atingem a 5% da população. No Brasil talvez sejam no máximo 2% da população total. Em países da América Latina em média não devem chegar a 1% da população. Na África e na Ásia fatalmente não atingem a 0,5% da população. Nos mais populosos países da Ásia não devem chegar a 0,1% da população.

Isto significa que, diante das Políticas Fiscais de Austeridade Popular levadas a efeito pelos governantes dos países desenvolvidos e dos emergentes, no mundo todo sobrariam menos de 60 milhões de pessoas (1% da população mundial) com condições de ocupar funções ou cargos (empregos) necessários para transforma-las em potenciais consumidoras.

Definitivamente podemos dizer sem medo de errar que os neoliberais representados pelos economistas ortodoxos são completamente loucos ou vice-versa. O vice-versa é o mais provável porque os ortodoxos querem modernidade, mas utilizam-se de teorias engendradas no Século XXVII, quando aconteceu a primeira revolução industrial, ocasião em que o cenário mundial era completamente diferente do agora existente. Naquela época o povo tinha terras para sua agricultura de subsistência.

Hoje em dia, num grupo de 50 países considerados desenvolvidos e/ou emergentes, somente os chineses ainda se utilizam da agricultura de subsistência para sustento de bem mais de um bilhão de habitantes. Neste caos que se está querendo implantar, somente a China não terá extremos miseráveis.

NOSSA ARRECADAÇÃO TRIBUTÁRIA BASEIA-SE NO CONSUMO POPULAR

Considerando-se que a nossa arrecadação tributária baseia-se especialmente no consumo popular, tal como já vem acontecendo no Governo Temer, no futuro o Brasil não terá arrecadação tributária porque todo o produzido será exportado a preço de custo. As exportações não são tributadas e com o artificial prejuízo contabilizado, não há imposto a ser arrecadado.

Então, mesmo que o Brasil seja o maior exportador do mundo, também será o país com o maior números de miseráveis.

O Povão não vai ficar parado a espera que a comida caia do céu

Obviamente, os assaltos a trens e caminhões indo na direção dos portos serão significativamente aumentados, assim como, a pirataria nos rios amazônicos. Haja forças armadas para combater os desvarios cometidos em razão da fome gerada pelo desemprego e em razão da falta de saúde e educação para quase 200 milhões de brasileiros.