início > textos Ano XXI - 24 de maio de 2020



QR - Mobile Link
DIA NACIONAL DO EMPRESÁRIO CONTÁBIL

DIA NACIONAL DO EMPRESÁRIO CONTÁBIL

DIA NACIONAL DO CONTABILISTA

São Paulo, 06/05/2011 (Revisada em 26/04/2020)

Referências: Especializações em Contabilidade, Escrituração Contábil, Registro Cadastral de Organizações Contábeis, Registro Profissional do Contabilista, Contadores e Técnicos em Contabilidade, Escritório de Contabilidade Individual = Profissional Autônomo, Empresa Contábil = Sociedade Empresária, Empresa Individual = Empresário Contábil.

  1. Dia Nacional do Empresário Contábil
  2. Constituição da Empresa ou Escritório de Contabilidade
  3. Dia Nacional do Contabilista
  4. Registro Profissional do Contabilista

Textos Correlacionados

  1. Em Busca do Sucesso como Contabilista
  2. As Limitações dos Técnicos em Contabilidade
  3. A Importância da Contabilidade
  4. O Que os Empresários Precisam e Devem Saber
  5. A Dispensa da Escrituração Contábil
  6. Incentivos Fiscais à Contabilização - Distribuição de Resultados
  7. Indenização de Lucros Cessantes e do Fundo de Comércio
  8. Os Prejuízos dos Comerciantes Assaltados
  9. Decreto-Lei 9.295/1946 - Regulamentação da Profissão Contábil
  10. Exame de Suficiência
  11. Princípios de Contabilidade - A Contabilidade como Conhecimento
  12. Normas Brasileiras de Contabilidade - Técnicas e Profissionais
  13. Especializações em Contabilidade - Administrativa
  14. Especializações em Contabilidade - Operacional
  15. Ramificações da Contabilidade
  16. Exame de Qualificação Técnica - Auditores Independentes
  17. Educação Continuada

Por Américo G Parada Fº - Contador - Coordenador do COSIFe

1. DIA NACIONAL DO EMPRESÁRIO CONTÁBIL

Lei 12.387/2011, publicada no DOU de 04.03.2011, institui o Dia Nacional do Empresário Contábil, que será festejado ou celebrado no dia 12 de janeiro de cada ano. O Projeto de Lei 4.640/2009 foi proposto pelo Deputado Arnaldo Faria de Sá filiado ao PTB-SP, sendo Relator o Deputado Sandro Mabel filiado ao PR-GO.

O autor do projeto de lei ressalta que “a responsabilidade maior do Empresário Contábil está na sistematização e no provimento de informações que permitam aos dirigentes, sejam cidadãos, empresários ou governantes tomarem decisões que levem as empresas e instituições aos melhores caminhos".

A sugestão para criação da data comemorativa foi encaminhada ao autor do projeto de lei pela Federação Nacional das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas - FENACON

2. CONSTITUIÇÃO DA EMPRESA OU ESCRITÓRIO DE CONTABILIDADE

Além de observar o contido no texto denominado Registro Cadastral de Organizações Contábeis, o contabilista deve observar também o disposto no Código Civil Brasileiro de 2002. O texto indicado lembra que existem três tipos de registro cadastral:

  1. Como pessoa jurídica na forma de Sociedade
  2. Como pessoa jurídica na forma de Empresário
  3. Como pessoa física (Autônomo) na forma de Escritório Individual

Segundo o Código Civil Brasileiro, em Direito da Empresa, é considerado Empresário o titular de empresa individual outrora conhecida como Firma Individual. Quando o Empresário está associado a outro, a empresa passa a ser denominada como Sociedade Empresária.

No texto denominado Firma Individual estão as explicações para transformação da Empresa Individual (Empresário) em Sociedade Empresária e vice-versa.

O Código Civil  também tem as regras para celebração de contratos de constituição de outros tipos de sociedades e ainda as normas legais sobre Escrituração Contábil.

Veja os textos do COSIFe sobre a Escrituração Contábil e dos "Livros Comerciais e Fiscais", conforme está escrito no Código Tributário Nacional de 1966, ainda em vigor.

3. DIA NACIONAL DO CONTABILISTA

No dia 25 de abril de 1926, o Senador João Lyra Tavares, considerado o Patrono dos Contabilistas, instituiu o Dia do Contabilista.

Segundo o site do CRC-SP, enquanto discursava, o Senador João Lyra proferiu a seguinte frase:

"Trabalhemos, pois, bem unidos, tão convencidos de nosso triunfo, que desde já consideramos 25 de abril o Dia do Contabilista Brasileiro".

Ainda com base no site do CRC-SP, em dezembro de 1925, João Lyra havia sido eleito Presidente do Conselho Perpétuo dos Contabilistas Brasileiros e, em toda a sua vida parlamentar, propôs e fez aprovar várias leis em benefício da profissão contábil. Em seu discurso de agradecimento, Lyra homenageou outro grande contabilista, Carlos de Carvalho, dizendo:

"Quando, em 1916, justifiquei, no Senado Federal, a conveniência de se regularizar o exercício de nossa profissão, acentuada a merecida e geral confiança que adviria do abono da classe, por seus mais circunspectos representantes, à capacidade moral e técnica dos contadores, foi o grande e saudoso mestre paulista uma autoridade sem equivalente no Brasil, como bem disse o sr. Amadeu Amaral, quem me endereçou os primeiros e os mais desvanecedores protestos de apoio e de solidariedade".

Do exposto podemos observar como foi difícil chegarmos a regulamentação de nossa profissão.

Desde 1916 manifestações em prol dos contabilistas podem ser relatadas. Mesmo diante de tanto esforço da classe contábil e durante tanto tempo, somente o Presidente Eurico Gaspar Dutra assinou o Decreto-Lei 9.295, datado de 27 de maio de 1946, que regulamentou a profissão contábil.

Abaixo do Presidente Dutra também assinaram: Octacílio Negrão de Lima, Carlos Coimbra da Luz, Gastão Vidigal, Ernesto de Souza Campos.

Como os referidos signatários não eram pessoas que se esforçavam pela solução de problemas dos trabalhadores e de suas respectivas profissões, o decreto-lei foi firmado com imperfeições que, apesar dos esforços da classe contábil, só foram corrigidas mediante a sanção da Lei 12.249/2010 que alterou o texto do Decreto-Lei 9.295/1946.

4. REGISTRO PROFISSIONAL DO CONTABILISTA

No texto sobre o Registro Profissional do Contabilista (pessoa física) estão as regras pertinentes.

Não confunda o Registro Profissional efetuado depois da aprovação no Exame de Suficiência com o Registro de Escritório Contábil como pessoa física (Autônomo), cuja regras estão no texto sobre o Registro Cadastral de Organizações Contábeis. Isto é, o Escritório Contábil de profissional autônomo também é considerado como Organização Contábil.

Veja ainda os textos do COSIFe sobre a Escrituração Contábil e dos "Livros Comerciais e Fiscais", conforme está escrito no Código Tributário Nacional de 1966, ainda em vigor.