início > textos Ano XX - 24 de maio de 2019



QR - Mobile Link
CUBANOS, DIZEM QUE LIVRE EXPRESSÃO É 'MISSÃO' DO BRASIL

CUBANOS, DIZEM QUE LIVRE EXPRESSÃO É 'MISSÃO' DO BRASIL [Título do ESTADÃO]

SENADORES NORTE-AMERICANOS, DESCENDENTES DE CUBANOS, DIZEM QUE LIVRE EXPRESSÃO É 'MISSÃO' DO BRASIL [Título do COSIFE]

São Paulo, 30/03/2012

Referências: Socialismo Lucrativo versus Capitalismo Excludente, a Censura Imposta pelos Empresários ou Patrões do Jornalismo - os anarquistas mercenários da mídia, Conselho Federal de Jornalistas, Liberdade de Imprensa. Estados Unidos: Republicanos Extremistas de Direita versus Democratas Socialistas não Radicais. Preconceito e Discriminação, Segregação Social.

CUBANOS, DIZEM QUE LIVRE EXPRESSÃO É 'MISSÃO' DO BRASIL

Por DENISE CHRISPIM MARIN, estadao.com.br, publicado em 30/03/2012

Ao assinalar sua preocupação com as 'mordaças' à imprensa em países da América Latina, os senadores cubano-americanos Robert Menéndez e Marco Rúbio apelaram nesta quinta-feira (29/03/2012) para a presidente Dilma Rousseff advogar em favor da liberdade de expressão. Essa missão, na opinião de ambos, é uma das responsabilidades que o Brasil tem de assumir como líder regional e como país com poder crescente no mundo. Não se trata de uma opção, segundo os senadores, mas de uma 'obrigação'.

Os apelos dos senadores surgiram a menos de duas semanas do encontro oficial entre os presidentes Dilma Rousseff e Barack Obama, dos Estados Unidos, na Casa Branca. Conforme reconheceu Rúbio, Obama 'não poderá dizer a Dilma o que fazer'. Porém, 'como amigos', ambos os senadores cobraram do governo brasileiro uma atitude proativa em defesa das liberdades fundamentais na América Latina, especialmente nos países mais críticos da região - Cuba, Venezuela, Equador e Argentina.

'O Brasil não deve só servir como exemplo, mas também advogar por esses direitos básicos, sem buscar o conflito nem interferir nas relações interiores de outro país. Como um poder, o Brasil tem a obrigação de falar abertamente em favor desses direitos tão básicos (para a região)', afirmou o republicano Marco Rúbio, da Flórida.

Apontado como possível candidato a vice-presidente na chapa republicana nas eleições de novembro, Rúbio anunciou na quarta-feira seu apoio a Mitt Romney, um dos quatro pré-candidatos republicanos à Casa Branca. Para ele, o processo de escolha do nome do partido para a Presidência dos EUA já se esgotou. O senador é tido como um possível agregador do voto latino, tradicionalmente pouco fiel a um ou outro partido.

O senador democrata Menéndez afirmou-se satisfeito com o fato de não ter sido aprovado no País um projeto de lei, de 2004, para criar conselhos federal e estaduais de Jornalismo destinados a 'orientar, disciplinar e fiscalizar' a atividade. 'O Brasil é um líder hemisférico e sua primeira obrigação é manter e observar os direitos de seus cidadãos e da imprensa livre', declarou. 'Mas, como membro da Organização dos Estados Americanos (OEA), o Brasil tem o dever de promover o direito à livre imprensa, com base no artigo 4º da entidade', completou Menéndez.

SENADORES NORTE-AMERICANOS, DESCENDENTES DE CUBANOS, DIZEM QUE LIVRE EXPRESSÃO É 'MISSÃO' DO BRASIL

Por Americo G Parada Fº - Contador CRC-RJ 19750 - Coordenador do site do COSIFe.

Inicialmente observe a diferença entre o título dado à notícia pelo ESTADÃO e o dado pelo COSIFE. No título do COSIFE está claro que os senadores norte-americanos disseram e não os cubanos, como tentou incutir o título do ESTADÃO.

A POLITICAGEM NORTE-AMERICANA

Quase todos os brasileiros que acompanham a politicagem norte-americana sabem muito bem que os republicanos (correligionários do Partido Republicano) são os mais ferrenhos adversários (opositores) dos democratas (correligionários do Partido Democrata de Barak Obama).

Quanto à "politicagem norte-americana" o termo refere-se ao conjunto de políticos pouco escrupulosos, e até certo ponto desonestos, especialmente interessados em defender apenas os seus mesquinhos interesses pessoais e os das demais pessoas de sua estirpe ou classe social, geralmente contrárias ao bem-estar da coletividade. Em outras palavras, tais políticos são os falsos representantes do Povo tão mencionados neste site do COSIFE.

CAPITALISTAS EXTREMISTAS VERSUS SOCIALISTAS NÃO RADICAIS

Assim sendo, os mais assíduos leitores das notícias vindas dos Estados Unidos devem saber também que os republicados são extremistas de direita enquanto os democratas são por aqueles acusados de serem socialistas.

Então, em razão dessa disputa política, nos Estados Unidos é travada uma verdadeira guerra ideológica dos capitalistas extremistas (republicanos) contra os (democratas) socialistas não radicais.

A bem da verdade é preciso lembrar aos esquecidos que ser socialista ou comunista não é crime no Brasil e nem nos Estados Unidos. Mas, por imposição dos governantes norte-americanos as organizações partidárias de socialistas e comunistas foram colocadas na ilegalidade aqui no Brasil. Somente os militares perseguiam os socialistas e comunistas, especialmente durante o Regime Militar iniciado no Brasil com o Golpe de Estado de 1964 que foi financiado pelos republicanos norte-americanos.

OS CAPITALISTAS ENCONTRARAM NO SOCIALISMO A SOLUÇÃO PARA OS SEUS PROBLEMAS

A grande verdade é que o ex-presidente (republicano) George Bush (o Júnior) foi obrigado a recorrer à estatização de algumas empresas para evitar a falência delas depois da Crise Mundial de 2008 provocada pelas teorias dos neoliberais estadunidenses que defendiam a globalização dos mercados mediante a sua autorregulação pelos detentores do poderio econômico exercido pelas empresas multinacionais associadas como uma grandiosa máfia ou cartel de anarquistas.

O problema enfrentado por Bush foi que muitas dessas multinacionais faliram, obrigando que o governo adotasse uma política econômica socialista (capitalismo estatal = protecionista) para evitar a total derrocada da nação norte-americana, que ainda periga acontecer se novas medidas de enérgico controle estatal da economia não forem implementadas. Esta era a pretensão dos idealizadores do movimento "OCCUPY WALL STREET".

Veja informações complementares no texto Queremos a Intervenção Governamental no Mercado de Capitais, publicado em 26/10/2011, em que é explicada a verdadeira intensão do movimento "Occupy Wall Street".

OS FALSOS SENADORES CUBANOS

Por que foram desenvolvidas essas explicações preliminares?

Porque os senadores cubano-americanos mencionados no texto do ESTADÃO são realidade norte-americanos descendentes de partidários do regime de extrema-direita de Fulgêncio Batista deposto por Fidel Castro em 1959.

CUBANOS APÁTRIDAS VERSUS MULTINACIONAIS APÁTRIDAS

Isto é, os dissidentes cubanos, desde aquela época em que Fidel Castro depôs o também ditador Fulgêncio Batista, são agentes apátridas a serviço do governo norte-americano, tal como foram apátridas as empresas multinacionais ianques que transferiram suas sedes para paraísos fiscais e passaram a produzir na Ásia mediante a exploração dos trabalhadores em regime de semiescravidão.

Sobre os direitos sociais dos trabalhadores nos Estados Unidos e na Europa veja o texto intitulado Verdades sobre a Crise Mundial Provocada pelos Neoliberais em que é apresentada a opinião de Paul Krugman, agraciado com o Prêmio Nobel de Economia em 2008. O texto de Krugman foi publicado pelo jornal New York Times e traduzido para o português por Notícias UOL - Folha de São Paulo.

O GRANDE INTERESSE DO CAPITAL MULTINACIONAL (APÁTRIDA)

O que se quer chamar a atenção do leitor do COSIFe é sobre fato de que aqueles ditos cubanos na verdade estão defendendo os interesses mesquinhos de determinado grupo de empresários ditos multinacionais (apátridas) que ainda pretende explorar a mão de obra barata dos cubanos, pois assim deixariam de pagar elevados valores em fretes para trazer os produtos fabricados na Ásia até os Estados Unidos.

A FALSA LIBERDADE DE EXPRESSÃO OU DE IMPRESSA

Então, por que os tais cubano-americanos pregam a liberdade de impressa ou liberdade de expressão?

Para se saber a resposta para a questão formulada basta que se olhe para a imprensa brasileira e que se observe como está totalmente dominada por mesquinhos agentes de extrema-direita que eram favoráveis ao Golpe Militar de 1964.

Porém, tais agentes se tornaram contrários aos milicos quando estes sentiram que era impossível governar o Brasil somente com o intuito da  manutenção de um regime de semiescravidão que produzisse apenas matérias-primas para serem exportadas para os países desenvolvidos.

Veja o texto denominado Governando Contra o Brasil - Incentivo Fiscal à Exaustão das Reservas Minerais Brasileiras - em que é salientado o esforço dos milicos (até certo ponto impatriótico) para tirar o Brasil do buraco deixado pelas multinacionais e pela preconceituosa e discriminadora elite empresarial e política brasileira.

Naquela época, desde 1950 até 1968, a elite brasileira e a classe média da endinheirada zona sul carioca era liderada pelo jornalista Carlos Lacerda, dono do jornal Tribuna da Imprensa do Rio de Janeiro.

Lacerda foi um antigo militante comunista, filho de comunista. Mas, para que tivesse liberdade para escrever (liberdade de expressão), associou-se à extrema-direita que desde o início da década de 1950 pregava o Golpe Militar contra as instituições democráticas que defendiam os direitos sociais dos trabalhadores, contrariamente ao que pretendia a oligarquia empresarial brasileira que nunca se conformou com a abolição da escravidão e muito menos com a legislação trabalhista imposta por Getúlio Vargas. Justamente para combater essa nossa elite escravagista, Getúlio foi eleito presidente da república em 1950 pelo voto direto.

Depois de ter sido um dos ferrenhos jornalistas apoiadores do Golpe de Militar de 1964, em 1968 Lacerda foi cassado porque queria acabar com o Regime Militar para que pudesse concorrer à  presidência da república.

Portanto, a Liberdade de Imprensa ou a Liberdade de Expressão de Lacerda só existiu enquanto defendia os interesses dos poderosos.

E assim já aconteceu com muitos outros jornalistas. Mino Carta, por exemplo, é um desses que fundou a sua própria empresa para que pudesse escrever o que bem quisesse. O mesmo acontece com aqueles que publicam seus textos na Revista Caros Amigos e com aqueles que criaram seus sites ou blogs  na internet, como é o caso de Paulo Henrique Amorim e de Luiz Nassif. Todos estes não têm vez na Grande Mídia.

Então, perguntamos: Onde está a tal liberdade de expressão ou de imprensa pretendida pelos citados senadores cubano-americanos?

OS EXEMPLOS DO PASSADO E O ACONTECIDO NO SÉCULO XXI

A Teoria de Peter Drucker

Como dizia na década de 1950 o austríaco Peter Drucker (*1909 2005), a Europa só se desenvolveu porque criou um mercado interno que pudesse absorver a produção industrial daquele continente. Excetuando os Estados Unidos, não existiam outros países que pudessem absorver a produção industrial europeia. Por isso, para o bem-estar do empresariado europeu, era preciso estimular o consumo interno naquele continente.

Foi o que fez no Brasil o presidente Lula em 2009 para afastar a possível recessão que seria provocada pela falência econômica norte-americana.

A Origem da Inflação Brasileira

Foi também o que os militares golpistas de 1964 tentaram fazer no Brasil depois do insucesso administrativo dos seus dois primeiros governos (Castelo Branco e Costa e Silva). Contudo, dessa forma acabaram estimulando a inflação porque os empresários brasileiros e multinacionais não queriam produzir para o consumo do nosso Povo. O projeto inicial era o de incentivar a industrialização para substituição das importações e assim combater o nosso elevado déficit no Balanço de Pagamentos. Porém, os empresários queriam produzir apenas os bens consumidos pela oligárquica elite brasileira e pelos seus apadrinhados. Então, o excesso de procura de bens de consumo pelo povão e a baixa produção empresarial provocavam a inflação.

Nova de Estabilidade sem Inflação Galopante

Diante desse contexto, podemos observar que o Brasil só deixou de sofrer a pressão inflacionária quando os empresários foram convencidos de que deveriam produzir para o consumo da nossa grande massa populacional.

Isto realmente aconteceu a partir de 2003 e especialmente a partir de 2009, depois da Crise Mundial de 2008 provocada pelos neoliberais norte-americanos. Por isso em 2010 a taxa de crescimento do PIB brasileiro foi elevada.

Exterminando o Mercado Interno Europeu

Na contramão da teoria de Peter Ducker, a partir de 2011 os governantes europeus, seguidores dos dois economistas agraciados com o Prêmio Nobel de 2010, querem exterminar com os mercados internos europeu e norte-americano, porque os tais economistas ortodoxos (extremistas de direita) acreditam que os trabalhadores foram os culpados pelos crescentes déficits nos Balanços de Pagamentos e nos Orçamentos Internos da maior parte dos países europeus e também dos Estados Unidos. Esta também era a tese defendida e aplicada pelos nossos gestores econômicos até 2002.

Como a exploração do trabalho em regime de semiescravidão possibilitou a rápida acumulação de capital pelos extremistas de direita na Ásia, os citados economistas ortodoxos defendem a tese de que a implantação do mesmo sistema de trabalho sem direitos sociais (trabalhistas e previdenciários) poderá tirar os países desenvolvidos do buraco em que se encontram.

No texto intitulado Reforma Trabalhista - Caminhando para o Trabalho Escravo, leia um resumo do debate que se instalou em razão da esdrúxula tese desenvolvida pelos laureados com o Prêmio Nobel de Economia em 2010.

A CENSURA IMPOSTA PELOS JORNALEIROS

Quem realmente exerce a censura à imprensa no Brasil?

A resposta para essa questão está no texto denominado A Censura Imposta pelos Jornaleiros.

No mencionado texto os "Jornaleiros" não são aqueles trabalhadores das bancas de jornais.

O termo "Jornaleiros" foi atribuído por Mino Carta da Revista Carta Capital aos empresários editores dos jornais brasileiros que em sua quase totalidade não são jornalistas devidamente diplomados. São apenas vendedores de jornais ou editores de panfletos que sempre defendem os interesses mesquinhos das classes dominantes.

Como os tais "Jornaleiros" (patrões do jornalismo) não querem dar total liberdade de expressão aos verdadeiros "jornalistas", pois censuram seus textos antes de serem publicados, obviamente  tais empresários são contrários à instituição de um Conselho Federal de Jornalistas ou de Jornalismo.

Com a instituição de um Conselho de Jornalistas (profissionais) e de Jornalismo (editores), obviamente só seriam registradas empresas de jornalismo que tivessem como titulares os jornalistas devidamente diplomados. Isto já acontece em todas as profissões regulamentadas.

Como exemplo, podemos citar os escritório de contabilidade que só podem ser registrados se constituídos por contabilistas. Por sua vez, os escritórios de advogacia só podem ser constituídos por advogados. E, assim, sucessivamente acontece em todas as demais categorias de profissionais de nível superior.

Para evitar que de fato haja a liberdade de expressão ou de imprensa, um dos senadores cubano-americanos (o falso democrata) revelou-se contrário à existência de Conselho Federal de Jornalista e de Jornalismo no Brasil.

Existindo o Conselho Federal de Jornalistas e de Jornalismo, seria impossível impedir que os verdadeiros jornalistas escrevessem ou dissessem o que bem quisessem em jornais e revistas ou em emissoras de rádio e de televisão. Mas, esse tipo de liberdade de expressão os empresários extremistas de direita não querem que exista.

Quantos jornalistas são proprietários de jornais ou de emissoras de rádio e de televisão no Brasil?

Talvez a resposta certa seja NENHUM.

CONCLUSÃO

MONOPOLIZANDO A INFORMAÇÃO

Sabendo-se que no Brasil os editores dos chamados "Jornalões" (os jornais de maior circulação) são todos oriundos das classes oligárquicas brasileiras, extremamente preconceituosas e discriminadoras dos menos favorecidos, os tais senadores norte-americanos (falsos cubanos) na verdade estão querendo estender os tentáculos dos citados "jornaleiros" aos países em que ainda não detêm o monopólio da informação. Querem ainda impedir que os governos tenham também os seus próprios órgãos de impressa escrita, falada e televisada.

Esse  verdadeiro monopólio privado da informação só não está totalmente enraizado porque na década de 1990 surgiram os sites na internet como o do COSIFE que em parte se dedicam a desmascarar as mesquinhas intenções dos detentores do poderio econômico.

O INSUCESSO DOS SITES DE EXTREMA-DIREITA

Aliás, é preciso lembrar que em Cuba também existem sites alimentados pela extrema-direita oposicionista ao governo da dinastia Fidel Castro. O problema enfrentado pelos oposicionistas é que ninguém  lê os seus textos.

É preciso lembrar que também existem dinastias no Brasil. A dinastia ACM na Bahia, a dos Sarney no Maranhão e a do PSDB em São Paulo e muitas outras pelo Brasil afora, principalmente no nordeste brasileiro.

OS PROBLEMAS ENFRENTADOS PELOS MENOS FAVORECIDOS

Como também acontece no Brasil, grande parte da população cubana não tem acesso à internet devido ao elevado preço do serviço. O mesmo acontece com a TV por assinatura. Os empresários preferem atender a poucos com a cobrança de altos preços do que atender a muitos com menor preço. Trata-se de mera segregação social.

Segundo estimativa da ONU, em 2011 Cuba era 51º país entre os detentores dos melhores IDH - Índice de Desenvolvimento Humano. O Brasil era o 84º colocado entre os 227 países analisados e não estava entre os 10 primeiros das Américas. Embora o Brasil tenha IDH inferior ao de Cuba, está na mesma categoria; ambos são detentores de "alto" IDH.

OS VERDADEIROS PAÍSES SOCIALISTAS

São 4 as subdivisões do IDH: "muito alto", "alto", "médio" e "baixo".

Chile, Argentina, Uruguai e Portugal também têm melhor colocação que o Brasil. Mas, a economia desses países não é tão avançada como a brasileira.

Isto significa que a concentração da renda nacional na mão de poucos no Brasil é maior do que naqueles países. Isto é, naqueles países a distribuição da renda nacional ainda é mais justa que no Brasil.

Segundo os economistas esquerdistas, os países em que há justa distribuição da renda devem ser considerados socialistas.

Assim sendo, todos os países em o povo tem o "muito alto" IDH seriam socialistas. Então, entre estes estariam os Estados Unidos, o Japão e todos os países da Europa, que são considerados como países desenvolvidos.

TENTATIVA DE GOLPE DE ESTADO PELOS RIQUINHOS

No Brasil, o movimento "CANSEI" de extrema-direita, oposicionista ao governo Lula, resolveu expor-se ao ridículo através de um site na internet, que foi retirado do ar por falta de leitores. Os internautas que o liam apenas o ridicularizavam, conforme pode ser observado no texto endereçado, que se encontra no site Wikipédia.

MONOPÓLIO DA INFORMAÇÃO

Então, para que os extremistas de direita tenham sucesso, a eles só restará a obtenção do monopólio da informação escrita, falada e televisada.

É essa a pretensão dos falsos cubanos eleitos como senadores norte-americanos.

TENTATIVA DE CENSURA À INTERNET

Em razão da Internet permitir a livre expressão popular, em 2011 vários agentes do poderio econômico, principalmente nos Estados Unidos, tentaram silenciar as vozes que falam através dos escritos e dos vídeos publicados na Rede Mundial de Computadores.

Vai ser difícil calar a boca de mais de 99% da população mundial.

Só será possível calar a boca do povo se acabarem com a Internet.

Mas, isto o Google não vai deixar que aconteça, nem a Microsoft, nem a Apple, tampouco a Intel e muitas outras empresas interessadas.

Afinal, para essas empresas é preferível aceitar o socialismo lucrativo do que falir defendendo o capitalismo excludente.

É uma questão de lógica empresarial e não de mera ideologia radical, preconceituosa e discriminadora, que tem a intensão de perpetuar a extrema segregação social dos menos favorecidos.