início > textos Ano XX - 22 de agosto de 2019



QR - Mobile Link
O RETROCESSO BRASILEIRO

O RETROCESSO BRASILEIRO

DURANTE O GOVERNO FHC O BRASIL QUEBROU PELO MENOS TRÊS VEZES

São Paulo, 06/06/2002 (Revisado em 27-10-2014)

Referências: Eleição Presidencial de 2002

DURANTE O GOVERNO FHC O BRASIL QUEBROU PELO MENOS TRÊS VEZES

Por Américo G Parada Fº - Contador - Coordenador do COSIFE

A Deputada Federal Rita Camata foi escolhida como candidata ao cargo de vice-presidente da república na chapa governista titulada por José Serra. Na propaganda política em que apareceu dizia que o Brasil não podia retroceder. Talvez seja por isso que sempre tenha votado com a oposição, ou seja, sempre tenha votado com os partidos de esquerda, contra o governo de FHC, justamente para evitar o retrocesso implantado no Brasil por seu partido e seus coligados PSDB (ex-MDB e PMDB), PFL (ex-ARENA e depois DEM) e PPB (ex-PSD e depois PP).

Evidentemente que a escolha de Rita Camata como candidata ao cargo de vice-mandatária da nação, e ela infantilmente se deixou enrolar nessa tramoia, foi o grande golpe da elite burguesa brasileira para conquistar alguns eleitores que estão em cima do muro, o que é bastante sugestivo em se tratando de PSBD, o partido governista apoiado pelo PFL, PMDB e anteriormente também pelo PPB de Paulo Maluf. E são desses partidos os principais acusados judicialmente de todas as pilantragens feitas contra o Brasil e contra o povo brasileiro.

O PSDB é um partido que não é contra nem a favor, muito pelo contrário. Ou seja, é o partido sem personalidade e sem vontade própria que acata sem discutir tudo que lhe é mandado fazer, que o digam os nossos patrões do FMI - Fundo Monetário Internacional, devidamente capitaneados pelos norte-americanos.

O megainvestidor Soros (ex ou talvez ainda atual patrão do presidente do Banco Central do Brasil, Armínio Fraga), disse que “os EUA irão impor Serra e que Lula seria o caos”, opinião da qual também coadunava Delfim Neto.

Primeira conclusão: a trama está sendo bem engendrada para que o Brasil continue a ser governado por procuração, o que vinha acontecendo desde o Golpe Militar de 1964.

O RETROCESSO BRASILEIRO

Mas, voltando ao título em questão, onde está o retrocesso que muitos não conseguem ver?

A principal prova do retrocesso brasileiro é saber que o nosso País era a oitava potência econômica mundial em PIB - Produto Interno Bruto (nos tempos dos Militares) e perdeu seu lugar para a Espanha. E ninguém mais fala nisso porque, na verdade, o Brasil desceu vários outros degraus e há a ameaça de ser transformado em uma nova Argentina para que simplesmente seja colocada a culpa em Lula e no seu partido.

O grande problema é que o plano governista pode falhar e a crise pode chegar bem antes do novo presidente tomar posse. Por isso os norte-americanos estão querendo colocar no Brasil US$ 10 bilhões até as eleições para que possa iludir o eleitor, tal como fizeram na URSS (Rússia) antes da sua derrocada final.

Além disso, tivemos o retrocesso econômico com a instituição da miséria e do caos social. Durante o Governo FHC aumentou o número de favelas, o desemprego chegou a níveis inadmissíveis e a economia informal prosperou e com ela também aumentou o contrabando, o narcotráfico e o banditismo.

Em 1999 houve a abrupta desvalorização de nossa moeda e a distribuição de muito dinheiro para as elites empresariais brasileiras e multinacionais e em especial para os banqueiros.

Por sua vez, a legislação trabalhista retrocedeu para o que era antes da segunda guerra mundial.

Todo o patrimônio construído desde 1930 foi vendido a preço de banana para empresas e empresários que a principal coisa por eles feita foi a de aumentar preços cobrados do consumidor e maximizar seus lucros.

Conclusão final: nesses dez anos desde que FHC se tornou ministro do presidente Itamar Franco, o Brasil bateu todos os recordes de retrocesso econômico e social.

Leia também: Malditos Brasileiros, O Terrorismo Continua e Retorno para o Futuro.