início > textos Ano XXI - 3 de agosto de 2020


QR - Mobile Link
NOTÍCIAS DESENCONTRADAS SOBRE A ESPECULAÇÃO DOS MERCADOS

NOTÍCIAS DESENCONTRADAS SOBRE A ESPECULAÇÃO DOS MERCADOS

GOVERNANTES NÃO ESTÃO PREOCUPADOS COM AS MAZELAS DOS TRABALHADORES

São Paulo, 12/03/2020 (Revisado em 30/04/2020)

Referências: Manipulação das Cotações nos Mercados Financeiro e de Capitais, Crime Contra Pequenos Investidores, Responsabilidade da CVM segundo a Lei 7.913/1989. Nova Crime Mundial nos Mercados Especulativos.

  1. OMS CLASSIFICA CORONAVÍRUS DE 2020 COMO PANDEMIA
  2. ANALISTAS DO MERCADO DIZEM QUE OS MAIORES PROBLEMAS JÁ FORAM SANADOS
  3. FAZEM DE TUDO PARA ENGANAR OS PEQUENOS INVESTIDORES
  4. A ECOLOGIA E A NECROPOLÍTICA

Veja também:

  1. Lei 7.913/1989 - Dispõe sobre a ação civil pública de responsabilidade por danos causados aos investidores no mercado de valores mobiliários.
  2. Lei 7.913/1989 - Comentários no site JUS.COM.BR - A legitimação para tutela jurisdicional coletiva dos investidores no mercado de valores mobiliários

Por Américo G Para Fº - Contador - Coordenador do COSIFE

1. OMS CLASSIFICA CORONAVÍRUS DE 2020 COMO PANDEMIA

Na versão brasileira do site (portal) da ONU - Organização das Nações Unidas em 11/03/2020 lia-se que a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a doença provocada pelo novo coronavírus COVID-19 como uma PANDEMIA (Epidemia que atinge toda uma região [Dicionário Aulete], neste caso, o planeta Terra).

A decisão foi anunciada pelo chefe da OMS (agência = organização), Tedros Ghebreyesus, em Genebra. Tedros disse que queria deixar uma mensagem bem clara: “os países ainda podem mudar a trajetória desta pandemia”.

Segundo o portal da ONU, a doença, que surgiu no final do mês de dezembro de 2019 na China, está presente agora em 114 países. Segundo o chefe da OMS o número de novos casos diários fora da China aumentou 13 vezes nas últimas semanas anteriores a 11/03/2020. E a quantidade de países afetados triplicou.

Ainda segundo a OMS, Tedros explicou que a palavra PANDEMIA "não é usada de forma fácil ou sem cuidados". E que é um termo que "se for usado erroneamente pode causar medo e desistência de lutar contra o vírus, levando a sofrimentos e mortes desnecessárias".

Com base no exposto, poderíamos dizer que as pessoas que têm dinheiro para realização de viagens internacionais são as principais causadoras da PANDEMIA. Portanto, devem ser evitadas as viagens turísticas. Que nos perdoem as empresas de transporte internacional pela divulgação dessa necessária propaganda negativa.

Em razão disto, o Jornal Valor Econômico de 12/03/2020 cita que o impacto do coronavírus sobre o mercado de aviação civil foi discutido em 11/03/2020 numa reunião entre os nossos ministros da Economia e da Infraestrutura. Embora as empresas brasileiras ainda não tenham sido impactadas tão duramente quanto as europeias, principalmente no mercado doméstico, há preocupação com as rotas internacionais. É nelas que atuam as empresas low cost [com vôos baratos = de baixo custo para o viajante], que o governo quer convencer a aumentar investimentos no Brasil, para permitir, segundo Paulo Guedes, que "as empregadas domésticas possam fazer viagens internacionais".

O Ministro da Infraestrutura Tarcísio Gomes de Freitas deixou o da Economia (Paulo Guedes) ainda sem uma resposta [como sempre, indeciso]. “Estamos pensando”, disse, ao ser questionado se haviam chegado aalguma solução.

2. ANALISTAS DO MERCADO DIZEM QUE OS MAIORES PROBLEMAS JÁ FORAM SANADOS

De outro lado, segundo foi publicado em 11/03/2020 pelo Jornal Valor Econômico (Expectativa por Estímulo Traz Alívio), conforme se verifica em "clipping" distribuído pelo Banco Central do Brasil, os dois articulistas lá mencionados explicam que "um dia depois de os investidores terem testemunhado a pior sessão para ativos de risco em mais de uma década, as ações em Nova York e os preços do petróleo registraram uma recuperação significativa ontem. Além do movimento de correção após os excessos da véspera, os agentes do mercado atribuíram o bom humor à expectativa acerca de anúncios de medidas de estímulo pelas autoridades globais para conter a propagação do novo coronavírus e combater a desaceleração econômica provocada pela epidemia".

Mais adiante, preocupados em não serem cúmplices dos enganadores de pequenos investidores, os articulistas explicam:

Apesar da forte valorização dos ativos de risco, o dia 11/03/2020 ainda apresentou volatilidade elevada, padrão comum nas últimas semanas nos mercados financeiros. No início da tarde de 11/03/2020, as ações globais foram fortemente pressionadas e chegaram a operar no negativo, com dúvidas sobre a possibilidade de aprovação de estímulos nos EUA e na Alemanha. A desconfiança veio após comentários do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e da primeira-ministra do país europeu, Angela Merkel.

E os articulistas continuam a explicar:

Já Merkel, segundo a “Reuters”, disse que seu governo iria priorizar o incentivo à liquidez para empresas em dificuldades, em vez de partir para medidas clássicas de estímulos fiscais. Com isso, as ações europeias, que chegaram a subir 4%, fecharam o dia 11/03/2020 em queda.

Por sua vez, preocupado com os prejuízos que podem sofrer os detentores do Grande Capital (seus financiadores), Trump disse ainda que espera oferecer alívio às indústrias mais atingidas pelo vírus, incluindo as companhias aéreas. A indústria de óleo e gás também poderia receber assistência. A participação do presidente americano era esperada na entrevista aos jornalistas que ocorreu no início da noite de 11/03/2020 na Casa Branca, mas ele não compareceu ao encontro. No lugar de Trump, falou o vice-presidente Mike Pence, que repetiu as medidas anunciadas um dia antes [10/03/2020].

De outro lado, os articulistas salientam o que disse um dos agentes do mercado:

Os mercados estão muito voláteis. Os investidores estão muito nervosos; portanto, todas as manchetes ou sinais positivos fornecidos por bancos centrais, políticos e por Trump oferecem um pequeno alívio”, disse Sergey Dergachev, gerente de portfólio da Union Investment, à “Dow Jones Newswires”.

Para que sejam acusados de enganar os pequenos investidores, os articulistas do Jornal Valor Econômico advertem sobre o que foi publicado no exterior:

A perspectiva de uma recuperação sustentada dos mercados, no entanto, ainda é encarada com ceticismo por boa parte dos analistas.

Ainda há mais quedas por vir, em grande parte devido ao fato de não termos bons dados sobre a extensão do vírus nos EUA”, disse Donald Calcagni, diretor de investimentos da Mercer Advisors, em entrevista ao MarketWatch.

Segundo Calgani, as bolsas podem até se animar com as discussões sobre cortes de impostos, mas a medida não deve sustentar o ímpeto dos investidores por muito tempo.

Não acho que seja uma solução de longo prazo. Eventualmente, teremos que desfazer a medida. O que o mercado precisa ver é uma liderança maior da Casa Branca em termos de gestão da crise do coronavírus”, disse Calgani.

Em 12/03/2020, no Economia-UOL lia-se: Bolsa opera em queda de 12% após inédita 3ª suspensão temporária na semana.

3. FAZEM DE TUDO PARA ENGANAR OS PEQUENOS INVESTIDORES

Diante do que foi publicado, parece claro que os governantes mundiais estão preocupados em salvar os financiadores de suas campanhas políticas, mas estão pouco preocupados com as mazelas causadas aos trabalhadores mediante seus planos de máxima austeridade popular, com a direta ou indiretamente retirada de Direitos Sociais (especialmente os trabalhistas e previdenciários). Tudo isto tem causado o inegável aumento da miséria no mundo todo.

E, essa miserabilidade causada pelo desemprego, com drástica redução do PODE AQUISITIVO dos principais consumidores (99% da população mundial), tem causado o elevado índice de inadimplência, os quais, têm causado a redução do consumo popular, com a redução do PIB (Produto Interno Bruto) de todos os países.

Por sua vez, essa falta de consumidores tem gerado o fechamento de pequenas e médias empresas. tem causado a inadimplência que gera grandes problemas financeiros às empresas prestadores de serviços públicos e também ao sistema financeiro mundial.

Na realidade a falta de consumidores tem causado grandes transtornos a todo o sistema produtivo (capitalista) devido a enorme redução dos lucros empresariais (com o aumento da sonegação fiscal). Tudo isso tem gerado a redução da Arrecadação Tributária.

Em razão desses fatos, a capitalista cadeia produtiva de modo geral tem sido afetada (enormemente prejudicada) pelas danosas políticas econômicas de austeridade popular.

Assim, a produção global foi drasticamente reduzida em razão da falta de consumidores. Isto está visível na redução do PIB - Produto Interno Bruto de todos os países, principalmente naqueles que tiveram sua moeda desvalorizada em relação ao dólar, que é o caso do Brasil.

4. A ECOLOGIA E A NECROPOLÍTICA

Dessa decadência mundial estão satisfeitos (festejando) os ecologistas porque foi reduzida a produção de LIXO. E, de fome, muita gente vai morrer, assim reduzindo ainda mais a produção de lixo.Trata-se da NECROPOLÍTICA.

Veja em Neoliberalismo é Necropolítica = Matando Pessoas Não Rentáveis.

Tem gente aventando a possibilidade de o coronavírus ter sido introduzido como forma de reduzir a população mundial, principalmente a mais carente (a miserável).

Mas, ao contrário do esperado, a PANDEMIA está afetando mais aqueles que têm dinheiro para realização de viagens internacionais. Essa é a maior razão da preocupação governamental. Como sempre defender apenas os interesses mesquinhos dos mais ricos.

De outro lado, alguns economistas (os progressistas) estão preocupados com a ocorrência de uma grandiosa recessão global, que também prejudicaria as grandes empresas. E, se algumas dessas grandes empresas vierem a falir, a eclosão do RISCO SISTÊMICO (com falências encadeadas) obviamente causará uma crise mundial bem pior que a de 2008 e que a de 1929.

Veja em O Mundo Caminhando Para Uma Crise Global.