início > textos Ano XXI - 21 de novembro de 2019



QR - Mobile Link
O CAPITALISMO COMO É - COMO FOI POSSÍVEL QUEBRAR A BOLSA DE VALORES?

NO BRASIL OS POBRES PAGAM MAIS TRIBUTOS QUE OS RICOS

CUSTO BRASIL - COMO QUEBRAR UM EMPRESA II

São Paulo, 05/10/2012 (Revisada em 10-07-2018)

Referências: Alta Carga Tributária, Falta de Incentivos Fiscais ao Empresariado, Planejamento Tributário e Sonegação Fiscal, Mesquinhez da Elite Escravocrata, Trabalho Escravo e em Regime de Semiescravidão. Contabilidade Criativa ou Fraudulenta, Salário Não é Renda.

COMO FOI POSSÍVEL QUEBRAR A BOLSA DE VALORES?

O CAPITALISMO COMO É

Por Paulo Daniel, economista, mestre em economia política pela PUC-SP, professor de economia e editor do Blog Além de economia. Publicado por Carta Capital em 19/03/2012. Extraído pelo COSIFE em 22/08/2012. Aqui com subtítulos,comentários e anotações em azul por Américo G Parada Fº - Contador - Coordenador do COSIFE.

A VENDA DA FORÇA DE TRABALHO

O sistema capitalista basicamente pode ser compreendido por aqueles que vivem da venda da sua força de trabalho e, ao mesmo tempo, por outros que possuem os meios de produção, como por exemplo máquinas, equipamentos, móveis, imóveis etc. Entretanto, aproximadamente nos últimos 40 anos, o capital portador de juros vem se sobrepondo ao dito capital produtivo, de acordo com Marx, essa é a forma acabada, mais aperfeiçoada do capital pois este se reproduz a si mesmo.

Sobre a venda da força de trabalho, veja o texto Salário Não é Renda.

OS ATOS DOS CAPITALISTAS EM UM PAÍS RICO POR NATUREZA

Pois bem. Imaginemos agora um país tropical, rico, acolhedor e bonito por natureza. A estrutura básica do sistema capitalista, conforme muito sinteticamente descrita acima, nesse país não se modifica, embora, talvez, somente nesse país imaginário venha a ocorrer algumas peculiaridades.

PAÍS RICO É PAIS SEM POBREZA - OS EXTREMOS DA DESIGUALDADE SOCIAL

Por ser um país acolhedor e cordial recebe sem nenhum preconceito e pavor, árabes, judeus, islâmicos, europeus, japoneses, chineses etc. É o país da paz. É o país da cordialidade. Por possuir essa conotação local e internacional alguns investidores e especuladores nacionais e internacionais, principalmente os mais espertos e bons de lábia, aproveitam-se da benevolência e da boa vontade de seus cidadãos e governantes e fazem desse país um eldorado pronto para alavancar suas riquezas e ampliar suas heranças na maioria das vezes de forma ilícita.

COMO QUEBRAR A BOLSA DE VALORES

Nesse mesmo país, a cerca de 40 anos atrás [1972], chega [ao Brasil] um especulador, mas que se reivindica com todas as letras, um investidor. Por ser jovem e ousado aplica sua herança em vários empreendimentos, aquisição de terrenos, aplicação em bolsa e, de repente, se torna acionista das duas maiores empresas nacionais desse país. Queiram ou não, o mercado o respeita, pois esse investidor, agora o mercado não mais o achincalha como especulador, cria riqueza sem passar pelas agruras do processo produtivo.

O POBRE MEGAESPECULADOR

Os governantes desse país ficavam deslumbrados com esse investidor, convidavam para jantares em seus palácios, pois ele não só ganhou dinheiro com seu trabalho, mas também conheceu, conhece e é reconhecido por artistas, reis, príncipes, presidentes de outras nações. Alguns governantes imaginavam que esse investidor pudesse ajudar o país a ter seu reconhecimento internacional, por isso, o cortejavam diuturnamente.

MANIPULAÇÃO DAS COTAÇÕES NAS BOLSAS DE VALORES

Mas, como tudo que é sólido desmancha-se no ar, o lado especulador desse investidor falou mais alto, começou a manipular dados do mercado financeiro daquele país, o jogo e as apostas eram altíssimos, parecia estar jogando em seu próprio cassino e como todo bom jogador seu sonho maior é quebrar a banca. E foi o que aconteceu.

A FALÊNCIA DA BOLSA DE VALORES DO RIO DE JANEIRO

Saiu do céu e foi direto ao inferno sem intermediações pelo purgatório. Governantes, reis, artistas e o mercado financeiro sequer o reconheciam. Não faliu completamente, pois suas aplicações eram completamente diversificadas, mas a dívida era enorme. Os investimentos que realizava em seus imóveis e terrenos foram rareando até secarem e tornarem-se pendências judiciais.

TERRENO EM PINHEIRINHO É INVADIDO PELOS SEM TETOS

Aliás, em um de seus terrenos ocorreu uma ocupação de sem tetos, pois esse país nunca se preocupou em realizar uma reforma urbana e fundiária que beneficiasse a maioria da população, por uma razão muito simples, a lei do livre mercado é mais forte e influente que a Constituição. E foi justamente nesse episódio que o capitalismo mostrou a sua verdadeira face. De um lado, os sem tetos foram se organizando, construindo sua comunidade, exigindo reformas, de outro; o terreno começaria a ser disputado na justiça pelo especulador não para quitar suas dívidas, mas para iniciar uma nova empreitada.

MOVIMENTOS REIVINDICATÓRIOS DOS TRABALHADORES

NOTA DO COSIFE:

Assim, os sem teto de São José do Campos - SP - Brasil manifestaram-se pelo seu direito de ocupação do terreno abandonado que pertenceria à empresa holding de um megalomaníaco especulador.

Da mesma forma, defendendo seus inegáveis direitos coletivos, os trabalhadores da Europa, do norte e nordeste africano e do Oriente Médio (países do leste do Mar Mediterrâneo e da Península Árabe) foram às ruas para exigir os seus direitos sociais e políticos, derrubando governos totalitários e desestabilizando a unidade europeia.

Por sua vez, os servidores públicos federais brasileiros, especialmente prejudicados por políticas salariais ultrapassadas, semelhantes àquelas aplicadas durante o Governo FHC, entraram em greve em 2012.

Graças a essas políticas discriminatórias, pela primeira vez no Brasil os servidores públicos uniram-se em uma nova Central Sindical constituída por eles mesmos. Por isso, a presidenta Dilma tem sido rotulada de autoritária. Entretanto, apesar de ter agido da mesma forma que vem agindo Dilma, FHC nunca foi acusado de autoritário por esses mesmos trabalhadores do setor público.

DEFENDENDO A PROPRIEDADE PRIVADA

No sistema capitalista genuíno, a segurança e a justiça são deveres do Estado, com o simples intuito; garantir os contratos e a propriedade privada. Com base nesse pensamento, o especulador utilizou-se de suas influências e foi em busca de justiça. Por sorte, ou por acaso, ou por influência, o guardião da lei que recebeu seu processo mandou cumprir as medidas cabíveis e necessárias, dentro dos ritos legais e capitalistas, ou seja, expulsar os invasores do terreno. Cumpra-se a lei! Para cumpri-la, nesse caso, é essencial a força, ou seja, recruta-se a polícia, que é um órgão do Estado, preocupada sempre com a manutenção da ordem e a execução da lei.

RIQUEZA VERSUS POBREZA

Quanto aos sem teto, não é obrigação desse estado capitalista ajudá-las, pois não é da benevolência e do beneficiamento à essas pessoas que se criará riqueza real. A riqueza se dará com a criação de valor e, para isso, é essencial o trabalho.

A VITÓRIA DA ESPECULAÇÃO EM DETRIMENTO DA PRODUÇÃO

Portanto, o especulador deu a volta por cima novamente, pois o Estado e a justiça estão ao seu lado. Se não bastasse isso, esse país possui uma mídia nativa, como afirma Mino Carta, completamente serviçal e preocupada com os interesses privados, capitalistas e não coletivos. E, em um belo dia, convida o megaespeculador para uma entrevista a explicar e justificar a sua riqueza e, também, a colocar seus pontos de vistas sobre o país que escolheu para viver e ganhar o seu labutado dinheirinho. Pobre país!

ASSIM ESTÁ ACONTECENDO NOS ESTADOS UNIDOS E NA EUROPA

Essa é apenas uma estorinha para entender preliminarmente o funcionamento de um dos vários pilares do sistema capitalista, portanto, qualquer semelhança com a realidade brasileira, é mera coincidência.

Veja também:


(...)

Quer ver mais! Assine o Cosif Eletrônico.