início > textos Ano XIX - 20 de agosto de 2018



QR - Mobile Link
VENDA DA EMBRAER À BOEING A PREÇO DE BANANA

VENDA DA EMBRAER À BOEING A PREÇO DE BANANA

ANATOMIA DE UM CRIME DE LESA-PÁTRIA

São Paulo, 14/07/2018 (Revisada em 15/07/2018)

Referências: Desfalque no Patrimônio Nacional brasileiro - Venda da Embraer a preço de banana - Crime de Lesa-Pátria. Contabilidade de Custos - CUSTO BRASIL Corrupção, Doleiros, Lobistas e Corruptores. Privatização e Terceirização. Fraudes em Licitações Públicas. Sonegação Fiscal.

Coletânea por Américo G Parada Fº - Contador - Coordenador do COSIFE

Terceira maior fabricante de aviões comerciais do mundo, atrás apenas da Boeing e da Airbus, o filé mignon da Embraer está sendo vendido à americana Boeing pela merreca de US$ 3,8 bilhões - quase dez por cento de todo o capital público investido na empresa ao longo dos anos. O Blog Nocaute entrevistou três especialistas sobre o assunto. Veja o vídeo.

Por Blog Nocaute divulgado por Carta Maior em 12/07/2018

Sessenta anos atrás, quando o Brasil ainda importava privadas e arame farpado, o marechal-do-ar Casimiro Montenegro sonhou: “Um dia este país ainda será uma potência aeronáutica”. Foi dado como louco, mas realizou seu sonho: criou o ITA - Instituto Tecnológico de Aeronáutica e o primeiro embrião do que viria a ser a Embraer.

Passado quase meio século, a Embraer é a terceira maior empresa do mundo na fabricação de aviões comerciais, atrás apenas da Boeing e da Airbus. É a única de tal porte no hemisfério sul, e conta atualmente com cerca de 15 mil funcionários de altíssima qualificação. É o maior pólo gerador de tecnologia da América Latina.

Pois na calada da noite, no breu das tocas, em plena Copa do Mundo, na véspera do jogo do Brasil contra a Bélgica, o governo anunciou a venda da Embraer para a americana Boeing. Mais precisamente, vendeu o controle de 80% de sua divisão de jatos comerciais. Ou seja, o filé mignon da empresa brasileira.

A Boeing pagou [ou pretende pagar] pelo negócio a merreca de US$ 3,8 bilhões. Para se ter uma idéia do que isso significa, basta lembrar que, ao longo dos anos, o BNDES injetou na EMBRAER quase dez vezes o valor pela qual ela está sendo vendida agora. Sim, o que a Boeing pagou [ou pretende pagar] pela Embraer equivale a 10 por cento do que o governo investiu na empresa. Dinheiro público, dinheiro nosso. Seu dinheiro, meu dinheiro. [Capital oriundo do Trabalho estafante e pouco remunerado do Povo brasileiro]

Além dos aviões, a Embraer também desenvolve importantes sistemas de defesa do Brasil que agora ficarão nas mãos dos EUA.

As empresas correm contra o tempo para fechar a venda ainda no governo Temer, como fizeram com o Pré-Sal. Têm que vender tudo o que puderem até a meia-noite do dia 31 de dezembro de 2018, derradeira hora da permanência dos golpistas no poder.

Fernando Morais, editor do Blog Nocaute, falou com três especialistas para saber o significado dessa venda: o professor da UFABC, Demétrio Toledo, o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos de Ciência e Tecnologia de São José dos Campos, Ivanil Barbosa, e o diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Herbert Campos.

Veja o que eles têm a nos dizer sobre mais esse crime que Temer e seus golpistas cometem contra o Brasil e os brasileiros.

NOTA DO COSIFE:

Não se sabe até quando será brasileira a EMBRAER e muitas outras empresas que ainda são estatais. Mas, também pode ocorrer o fechamento da BOEING nos USA, conforme será explicado mais adiante.

O mais provável é que fechem a fábrica da EMBRAER no Brasil tal como fez o chamado de Capital Estrangeiro com muitas outras estatais privatizadas no Governo FHC. Naquela época muitos brasileiros perderam seus empregos assim como também estão definitivamente perdendo durante o Desgoverno Temer.

Esse alarmante índice de desemprego (e de inadimplência) agora vivido, além de causar muitas falências de micros, pequenas, médias e grandes empresas, vem empobrecendo os nossos emergentes e gerará grande horda de pessoas que se sujeitarão ao trabalho em regime de semi-escravidão. A implantação de um indireto regime escravocrata no Brasil inegavelmente é a principal bandeira do Desgoverno Temer.

Diante de todos esses fatos, parece óbvio que muitos brasileiros, assim como muitos estrangeiros, já perceberam como é grande a ascensão do NEOCOLONIALISMO PRIVADO estabelecido em paraísos fiscais em substituição ao antigo Colonialismo Político.

Com base nesse grandioso projeto de globalização neoliberal, mediante a autorregulação dos mercados, estão sendo formados gigantescos conglomerados empresariais cartelizados, comandados por transnacionais estabelecidas em paraísos fiscais

Para sucesso desses planos, está disponível nos paraísos fiscais o Shadow Banking System (Sistema Bancário Fantasma) em que atuam os chamados de Bancos Offshore. E para Organizações Criminosas, combatidas pela Lei 12.850/2013, ainda existem as Moedas Virtuais Criptografadas.

Esses sistemas globalizados em favor da máxima sonegação fiscal e da formação de CARTÉIS, têm facilitado a incorporação de empresas públicas e privadas brasileiras por estrangeiras com a consequente internacionalização de todo o nosso Patrimônio Nacional obtido ou acumulado por meio do árduo trabalho do nosso Povo.

Afinal, diz-se que Capital é Trabalho, tal como apregoam os economista progressistas. Portanto, o Povo trabalha para enriquecimento dos Patrões. Com o desemprego, esse enriquecimento dos Patrões cessará. Então, não se justifica todo esse desprezo aos trabalhadores, que não está sendo dirigido somente ao Povo brasileiro, vem acontecendo em todos os países.

Embora muitos digam que a EMBRAER ficará sob o controle do governo norte-americano, na verdade a própria BOEING já deve ser controlada por CARTÉIS de empresas fantasmas constituídas em paraísos fiscais ou por fundos de investimentos que emitem cotas ao portador.

Desse modo vem ocorrendo o aqui chamado de NEOCOLONIALISMO PRIVADO cujos titulares não são identificados em razão do máximo sigilo dos negócios escusos realizados nas chamadas de Ilhas do Inconfessável.

E os principais participantes desse processo de internacionalização de todas as empresas estatais e privadas têm a cumplicidade dos governantes de todos os países. Cinicamente esses governantes têm-se revelado como grandes inimigos dos trabalhadores impingindo a estes a chamada de "austeridade" que não atinge os organizadores desse novo regime feudalista tido como Nova Ordem Mundial.

Embora os picados pela Mosca Azul não acreditem nessa verdade, agora os Vendilhões da Pátria, como dizia e agora voltaria a dizer Leonel Brizola, estão dando continuidade aos planos de privatização e internacionalização do nosso patrimônio (iniciados na década de 1990). Esses vendilhões a serviço dos neocolonialistas tiveram como importante agente o Governo FHC totalmente submisso aos caprichos do FMI - Fundo Monetário Internacional.

Agora, os antigos partidários de FHC (pois PSDB e PMDB formavam um único partido político) e os seus demais aliados (incluindo-se nesse rol os mais recentes mercenários da mídia e do grande capital) têm-se revelado como cúmplices do Desgoverno de Michel Temer.

Veja explicações complementares no texto intitulado Socialismo para Ricos e Capitalismo para Pobres. Nele é comentado o que foi dito e escrito por Noam Chomsky sobre a Morte do Sonho Americano.

Segundo Chomsky, paulatinamente o povo norte-americano está empobrecendo por falta de emprego e de salário justo (ao contrário do esperado), exatamente porque desde a década de 1980 as grandes empresas norte-americanas estão transferindo suas fábricas para o exterior.

Por isso, talvez a BOEING transfira suas fábricas para o Brasil como há muito tempo vêm fazendo as empresas estatais da Suécia, da Noruega e de outros países escandinavos. Empresas de muitos outros países europeus também estão produzindo aqui. Mas, receiam que fatalmente o Povo brasileiro voltará a eleger um governante que seja amigo (não inimigo) dos trabalhadores.

Em razão desse fato, para que o Brasil possa concorrer com os países asiáticos, os apoiadores do Golpe Institucional em favor de Temer acreditavam e ainda acreditam que de fato há a necessidade de ser restabelecida a permissão para exploração do trabalho escravo no Brasil. Para isto, Michel Temer deveria extinguir os Direitos Sociais dos Trabalhadores, alterando o artigo 6º da Constituição Federal de 1988.

Porém, tal intento foi criticado por muitos empresários ao perceberem que tais planos têm prejudicado vários setores da economia por falta de consumidores. Os desempregados não compram e não pagam suas dívidas e, em razão disto, o Brasil deixou de arrecadar os tributos necessários ao Desenvolvimento Nacional. Assim, a tendência é que as empresas continuem a fechar suas portas com o consequente empobrecimento do empresariado que produz para o consumo interno.

Em razão do explicado por Noam Chomsky, os EEUU pouco têm para exportar e quase tudo que o povo ianque consome vem do exterior. No Brasil a produção é especialmente dedicada à exportação e o Povo, como já foi citado, não tem dinheiro para consumir. Por isso, sobram Reservas Monetárias no Brasil enquanto faltam nos USA.

Em razão desse sistema estupidamente regressivo (recessivo, engendrado por estúpidos) aquele país vem sofrendo constantes défices no Orçamento Nacional (por causa da baixa Arrecadação Tributária em comparação com os bem maiores Gastos Públicos.

Por sua vez, os défices também ocorrem no Balanço de Pagamentos porque as importações estadunidenses são maiores que as exportações (desde a década de 1980) a partir de quando tornou-se conhecido o fatídico Neoliberalismo implantado por Ronald Reagan (presidente ianque) e Margaret Thatcher (primeira ministra inglesa).