início > textos Ano XIX - 25 de setembro de 2018



QR - Mobile Link
LISTA DAS 10 EMPRESAS LÍDERES DA SONEGAÇÃO FISCAL

LISTA DAS 10 EMPRESAS LÍDERES DA SONEGAÇÃO FISCAL

O SENADOR BERNIE SANDERS DO ESTADO DE VERMONT PUBLICOU EM SEU PORTAL

São Paulo, 22/04/2018 (Revisada em 03/06/2018)

Referências: Sonegação Fiscal, Evasão Fiscal, Cambial e de Divisas, Reservas Monetárias, Motivos da impagável divida interna e externa norte-americana. Tudo para os Ricos, Nada para os Pobres Trabalhadores. Caminhando para um Regime de Trabalho Escravo, Semi-Escravidão explorada por Senhores Feudais. Magnatas e Executivos Megalomaníacos Controladores das Multinacionais = Transnacionais.

Coletânea por Américo G Parada Fº - Contador - Coordenador do COSIFE

LISTA DAS 10 EMPRESAS LÍDERES DA SONEGAÇÃO FISCAL NOS STATES

Texto publicado por Carta Capital em 2015 dizia que o Brasil era o 2º país no mundo em Sonegação Fiscal (o primeiro era e ainda é os Estados Unidos) e o Brasil era 69º em Corrupção. O mesmo texto dizia ainda que a Sonegação Fiscal no Brasil é 7 vezes maior que a corrupção.

Então: Quais deveriam ser as prioridades, levando-se em conta a materialidade dos fatos (segundo as Normas Técnicas de Auditoria)?

De outro lado, todos estão cansados de saber que o Brasil paga uma das maiores taxas de juros entre todos os países. Parece que somente em Madagascar a taxa de juros é maior que a brasileira. Entretanto, agora os sabichões dizem que em 2018 o Brasil tem a menor taxas de juros de todos tempos.

Mas, as altas taxas de juros no Brasil têm como principais defensores desde o Governo FHC os nossos queridos membros do COPOM - Comitê de Política Monetária.

Afinal, esses caras foram eleitos por quem? Pelo Povo não foi. Mas, eles mandam mais que os Três Poderes da Nação, juntos.

Pois é, os membros do COPOM são responsáveis pelo anual esvaziamento de praticamente a metade do Orçamento Nacional. Isto pode ser considerado como verdadeiro Desfalque nas Contas Públicas. Verdadeira Pedalada Fiscal em prol dos mais ricos sonegadores de tributos.

Assim sendo, os principais credores de pelo menos 70% dos títulos públicos emitidos pelo Tesouro Nacional são apenas umas 30 mil pessoas, que são tão ricas que apenas 1% de juros seria suficiente para que vivessem nababescamente mediante megalomaníacos gastos pessoais com coisas totalmente supérfluas, enquanto significativa parcela de brasileiros está passando fome em razão da implantação de políticas de segregação social que vem sendo aplicadas desde que Guido Mantega foi defenestrado do Ministério da Fazenda.

Por aqui pouca gente faz comentários sobre tudo isto. Agora são apenas comentários porque os crimes já prescreveram. No Brasil, em razão do Segredo de Justiça, não se pode revelar quais são as Organizações Criminosas nem quais os seus participantes (Lei 9.034/1995 revogada e substituída pela Lei 12.850/2013).

Graças ao site da Revista Carta Capital, ficamos sabendo que nos Estados Unidos pelo menos o Senador BERNIE SANDERS meteu a boca no trombone publicando a seguinte lista de empresas que mais cometem a Sonegação Fiscal, com a ajuda de paraísos fiscais cartoriais que registram empresas fantasmas chamadas de "empresas offshore" ou "bancos offshore" que atuam livremente em vários países e principalmente no Shadow Banking System (Sistema Bancário Sombrio ou Fantasma de Paraísos Fiscais).

Vejamos o texto original em inglês com tradução automática feita pelo Google com revisão e versão feita pelo coordenador do COSIFE:

General Electric |||| Boeing |||| Verizon |||| Bank of America |||| Citigroup |||| Pfizer |||| FedEx |||| Honeywell |||| Merck |||| Corning

1. General Electric

De 2008 a 2013, enquanto GE obteve mais de US$ 33,9 bilhões em lucros nos Estados Unidos, recebeu um total de restituição de impostos de mais de US$ 2,9 bilhões do IRS - Internal Revenue Service (Receita Federal do USA).

A taxa efetiva de imposto de renda corporativo dos EUA da GE no período de seis anos foi de -9% .

Em 2012, GE escondeu US$ 108 bilhões em paraísos fiscais no exterior (porque dentro dos STATES também existem paraísos fiscais = Estados de Nevada, Delaware, Montana, Dakota do Sul, Wyoming e New York) para evitar o pagamento de imposto de renda. Se essa prática fosse "proibida" [fiscalizada, reprimida, apurada ou autuada em tempo hábil], a GE teria pago US$ 37,8 bilhões em impostos federais naquele ano.

Durante todo esse período em que persiste a crise financeira iniciada em 2008, o Federal Reserve (Banco Central) forneceu à GE US$ 16 bilhões em assistência financeira, no momento em que seu CEO (diretor executivo), Jeffrey Immelt, era diretor do Federal Reserve de Nova Iorque.

A GE tem sido líder na terceirização de empregos com salários "decentes" [menores, que são pagos] na China, no México e noutros países de baixos salários [insuficientes para uma sobrevivência digna, tal como Michel Temer e seus apoiadores vem fazendo no Brasil].

O referido Sr. Immelt tem uma conta de aposentadoria (Fundo de Previdência Privada) na General Electric, avaliada em US$ 59 milhões e recebeu uma compensação total de US$ 19 milhões [como honorários e comissões = prêmios] no ano passado (2013).

Ele é membro da Business Roundtable, um grupo [de escravocratas] que quer aumentar a idade de "elegibilidade" [para obtenção dos direitos sociais] do Medicare (planos de saúde) e da Previdência Social para 70 anos, cortar os benefícios da Previdência Social e dos veteranos, aumentar os impostos das famílias trabalhadoras e reduzir ainda mais os impostos corporativos.

Em 6 de dezembro de 2002, Jeffrey Immelt disse em uma reunião de investidores: “Quando estou conversando com gerentes da GE, falo sobre China, China, China, China e China. Você precisa estar lá. Você precisa mudar a maneira como as pessoas falam sobre isso e como chegam lá. Eu sou uma louca na China. A terceirização da China vai crescer para US$ 5 bilhões. Estamos construindo um centro de tecnologia na China. Toda discussão hoje tem que se centrar na China. A base de custo é extremamente atraente [porque se trata de trabalho análogo à escravidão]. Você pode pegar um refrigerador de 18 pés cúbicos, chegar na China, pousá-lo nos Estados Unidos e pousá-lo por menos do que podemos fazer hoje um refrigerador de 18 pés cúbicos".

É justamente essa importação maciça de produtos da China e de outros países asiáticos que tem transformado os Estados Unidos em maior devedor do mundo, cuja dívida não pode ser paga porque não há o que exportar. Quase todo o consumido pelo Povão naquele país é importado. As exportações norte-americanas são menores que as importações há mais de 50 anos, razão pela qual na década de 1970 foi extinto o Padrão Ouro para o dólar. Não mais existia ouro em quantidade suficiente para resgatar os dólares emitidos. A partir dali os dólares são emitidos sem lastro em reservas monetárias, Ao contrário do que vem acontecendo com o REAL desde 2006, porque a partir do Governo Lula o Brasil passou a ter lastro para emissão de nossa moeda.

2. Boeing

De 2008 a 2013, no auge da crise que se arrasta até os dias de hoje, enquanto Boeing faturou US$ 26,4 bilhões nos EUA, recebeu uma restituição total de US$ 401 milhões do IRS - Internal Revenue Service (Receita Federal do USA). A taxa efetiva de imposto de renda corporativo da Boeing nos EUA durante esse período de seis anos foi de -2%.

A Boeing é uma das principais beneficiárias do bem-estar corporativo nos Estados Unidos e terceirizou dezenas de milhares de empregos "decentes" [com salários menores] na China e noutros países de baixos salários.

A Boeing ainda tem seu próprio banco financiado pelo contribuinte, conhecido como Banco de Exportação e Importação dos Estados Unidos. A Boeing recebeu tanto dinheiro corporativo desse banco que foi apelidado de “Banco de Boeing”.

O presidente da Boeing, W. James McNerney, Jr. recebeu uma compensação total de US$ 23,3 milhões [de honorários e comissões = prêmios] no ano passado (2013). O Sr. McNerney, como membro da Business Roundtable (escravocrata)quer aumentar a idade de "elegibilidade" [para obtenção de direitos sociais] do Medicare (planos de saúde) e do Seguro Social para 70 anos e fazer cortes significativos na Previdência Social.

3. Verizon

De 2008 a 2013, enquanto Verizon fez mais de US$ 42,4 bilhões em lucros nos EUA, recebeu um total de restituição de impostos de US$ 732 milhões do IRS - Internal Revenue Service (Receita Federal do USA).

A taxa efetiva de imposto de renda corporativo da Verizon nos EUA neste período de seis anos foi de -2% .

Em 2012, Verizon escondeu US$ 1,8 bilhão em paraísos fiscais no exterior para evitar o pagamento de imposto de renda nos EUA. Verizon seria devedora  um valor estimado de US$ 630 milhões em impostos federais se a sua evasão fiscal em empresas offshore de paraísos fiscais fosse tributada.

Em 2013, Lowell McAdam, CEO (diretor executivo) da Verizon, receber US$ 15,8 milhões em remuneração totalMas, Ele quer elevar a idade de "elegibilidade" [para obtenção de direitos pelos trabalhadores] do Medicare (planos de saúde) e da Previdência Social para 70 anos, e fazer cortes significativos na Previdência Social como membro da Mesa Redonda de Negócios.

4. Bank of America

O Bank of America recebeu uma restituição de impostos de US$ 1,9 bilhão da Receita Federal em 2010, embora tenha feito US$ 4,4 bilhões em lucros e recebido um resgate [de juros sobre aplicações financeiras] do Reserva Federal (Banco Central) e do Departamento do Tesouro de mais de US$ 1,3 trilhão.

Em 2012, o Bank of Americ operou mais de 300 subsidiárias incorporadas em paraísos fiscais offshore como as Ilhas Cayman, que não possuem impostos corporativos.

Em 2012, o Bank of America escondeu US$ 17,2 bilhões em paraísos fiscais offshore para evitar o pagamento de imposto de renda nos EUA. O Bank of America seria devedor um valor estimado de US$ 4,3 bilhões em impostos federais se o uso de estratégias de evasão fiscal offshore fosse tributada.

No ano passado, o CEO (diretor executivo) do Bank of America, Brian Moynihan, recebeu pagamento de US$ 13,1 milhões em indenização total , mas ele quer elevar a idade de "elegibilidade" [para obtenção de direitos sociais] do Medicare (planos de saúde) e da Previdência Social para 70 anos e fazer cortes significativos na Previdência Social como membro da Rodada de Negócios (Business Roundtable).

5. Citigroup

O Citigroup faturou mais de US$ 4 bilhões em 2010, mas não pagou imposto de renda federal. O Citigroup recebeu um resgate [de juros sobre suas aplicações financeiras] de US$ 2,5 trilhões do Reserva Federal (Banco Central) e do Tesouro dos EUA durante a crise financeira.

O Citigroup estabeleceu 427 subsidiárias ... em paraísos fiscais offshore.

Em 2012, armazenou US$ 42,6 bilhões em paraísos fiscais no exterior (dentro do USA também existem paraísos fiscais) para evitar o pagamento de imposto de renda nos EUA. O Citigroup deveria pagar um valor estimado de US$ 11,5 bilhões em impostos federais se o uso de estratégias de evasão fiscal offshore fosse eliminada.

Michael Corbat, CEO (diretor executivo) do Citigroup, recebeu como pagamento de honorários e prêmios mais de US$ 17,6 milhões em remuneração total no ano passado (2013).

6. Pfizer

A Pfizer , uma das maiores companhias de medicamentos controlados nos Estados Unidos, não pagou imposto de renda federal de 2010 a 2012, e ainda recebeu US$ 2,2 bilhões em restituições de impostos da Receita Federal (IRS) ao mesmo tempo em que teve US$ 43 bilhões em lucros em todo o mundo.

Em 2012, Pfizer acumulou US$ 73 bilhões em lucros no exterior e usou estratégias fiscais "offshore agressivas"  (= empresas fantasmas) para evitar o pagamento de imposto de renda nos EUA.

Ian Read, o CEO (diretor executivo) da Pfizer,  recebeu como pagamento de honorários e prêmios uma compensação total de US$ 17,7 milhões no ano passado.

Hank McKinnell, Jr., que foi CEO (diretor executivo) da Pfizer de 2001 a 2006, recebeu uma indenização dourada da Pfizer, avaliada em US$ 188 milhões (como prêmio pela evasão fiscal praticada).

7. FedEx

Em 2011, Federal Express recebeu uma restituição de impostos no valor de US$ 135 milhões do IRS - Internal Revenue Service (Receita Federal do USA), embora tenha feito mais de US$ 2,7 bilhões em lucros nos EUA naquele ano.

A FedEx recebe mais de US$ 1 bilhão por ano do Serviço Postal dos EUA para fornecer serviços aéreos para todos os envios de correio expresso e correio prioritário.

Frederick Smith, CEO (diretor executivo) da FedEx, recebeu mais de US$ 12,6 milhões em remuneração total no ano passado (2013).

8. Honeywell

De 2009 a 2010, Honeywell não pagou imposto de renda federal e ainda recebeu uma devolução de impostos no valor de US$ 510 milhões do IRS - Internal Revenue Service (Receita Federal do USA), embora tenha obtido um lucro combinado nos EUA de quase US$ 3 bilhões.

Em 2012, Honeywell investiu US$ 11,6 bilhões em paraísos fiscais no exterior para evitar o pagamento de imposto de renda nos EUA. A Honeywell deveria pagar o valor estimado de US$ 4,06 bilhões em impostos federais se a sua evasão fiscal fosse tributada.

David Cote, o CEO (diretor executivo) da Honeywell, recebeu mais de US$ 25,4 milhões em remuneração total no ano passado.

O Sr. Cote quer elevar a idade de "elegibilidade" [para obtenção de direitos sociais] do Medicare (planos de saúde) e da Previdência Social para 70 e fazer cortes significativos na Previdência Social como membro da Rodada de Negócios (Business Roundtable).

9. Merck

Em 2009, Merck não pagou imposto de renda federal e ainda recebeu uma restituição de impostos de US$ 55 milhões do IRS - Internal Revenue Service (Receita Federal do USA), embora tenha ganho mais de US$ 5,7 bilhões em lucros nos EUA.

Em 2012, Merck acumulou US$ 53,4 bilhões em países de paraísos fiscais offshore para evitar o pagamento de imposto de renda. Se essa prática fosse tributada, teria pago US$ 18,69 bilhões em impostos federais.

Fred Hassan, CEO (diretor executivo) da Merck de 2003 a 2009, recebeu um pára-quedas de ouro [uma indenização dourada = rica indenização] estimada em US$ 189 milhões.

O atual CEO (diretor executivo) da Merck, Kenneth Frazier, tem um conta de aposentadoria (Fundo de Previdência Privada) no valor estimado de US$ 14,4 milhões. Mas, ele quer aumentar a idade de "elegibilidade" [para obtenção de direitos sociais] do Medicare (planos de saúde) e da Previdência Social para 70 anos e fazer cortes significativos na Previdência Social como membro da Rodada de Negócios (Business Roundtable).

10. Corning

De 2008 a 2012, não apenas Corning não pagou impostos federais, como também recebeu uma restituição de US$ 10 milhões do IRS - Internal Revenue Service (Receita Federal do USA), embora tenha ganhado mais de US$ 3,4 bilhões em lucros nos EUA durante esses anos.

A Corning acumulou US$ 11,9 bilhões em paraísos fiscais no exterior para evitar o pagamento de imposto de renda nos EUA. A Corning deve um valor estimado de US$ 4,165 bilhões em impostos federais se o uso da isenção fiscal offshore for eliminado.

Wendell Weeks, CEO (diretor executivo) da Corning, tem um conta de aposentadoria (Fundo de Previdência Privada) no valor estimado de US$ 22,8 milhões. O Sr. Weeks deseja elevar a idade de "elegibilidade" [para obtenção de direitos sociais] do Medicare (planos de saúde) e da Previdência Social para 70 anos e fazer cortes significativos na Previdência Social como membro da Mesa Redonda de Negócios.

QUALQUER SEMELHANÇA COM O OCORRIDO NO GOVERNO TEMER NÃO É MERA COINCIDÊNCIA.