início > textos Ano XX - 22 de agosto de 2019



QR - Mobile Link
OS JORNALÕES MANIPULANDO A OPINIÃO PÚBLICA

OS JORNALÕES MANIPULANDO A OPINIÃO PÚBLICA

DESTACANDO O NEGATIVO E ESCONDENDO O POSITIVO

São Paulo, 05/12/2013 (Revisado em 17-02-2014)

Referências: A Ação Impatriótica dos Mercenários da Mídia, Torcendo Contra o Brasil, PISA 2012 - Programa Internacional de Avaliação de Alunos da OCDE - Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico.

INCONGRUÊNCIA INFORMATIVA DA GRANDE MÍDIA:

Melhor resultado do Brasil no PISA é publicado como fracasso e desorganização da educação no Brasil

Esse foi o título do artigo escrito por Mário César, publicado em seu blog Perspectiva Crítica em 04/12/2013.

A AÇÃO IMPATRIÓTICA DOS DONOS DO PODER

Por Américo G Parada Fº - Contador - Coordenador do COSIFE

OS PROBLEMAS ENFRENTADOS PELO BRASIL NA ÁREA DA EDUCAÇÃO

O COSIFE desde 1999 tem publicado artigos em que são identificados os principais problemas existentes no Brasil. Um deles é o ainda elevado grau de analfabetismo reinante especialmente na Região Nordeste que também tem os piores índices na área da saúde pública.

Apesar dos esforços de certos governantes que, por exemplo, criaram o MOBRAL - Movimento Brasileiro de Alfabetização, principalmente nas regiões mais carentes do Brasil os políticos descendentes dos antigos coronéis sempre fizeram questão de não erradicar o analfabetismo, porque das pessoas com menor grau educação e cultura é mais fácil comprar o voto e também dos analfabetos antes da Lei Saraiva de 1881 e depois de promulgada a Constituição Federal de 1988.

Com o intuito de melhorar o ensino nas escolas públicas, no período em que governou o Estado do Rio de Janeiro Leonel Brizola colocou em prática um projeto educacional do antropólogo Darcy Ribeiro e arquitetônico de Oscar Niemeyer para implementação do ensino integral nas escolas públicas de nível elementar. As escolas foram chamadas popularmente de "Brizolões" e oficialmente de CIEP - Centros Integrados de Educação Pública.

Os Brizolões foram construídos nas regiões mais pobres daquele Estado da Federação, o que provocou a ira da elite carioca e fluminense. Em razão dessa ira, Brizola não conseguiu eleger Darcy Ribeiro como seu substituto no governo. O povo fluminense (do antigo Estado do Rio de Janeiro) preferiu Moreira Franco (ex-prefeito de Niterói, ex-capital do antigo Estado) que extinguiu a escola integral e priorizou a construção do Metro nos bairros em que reside a elite carioca (da cidade do Rio de Janeiro, antigo Estado da Guanabara).

Durante o governo da Prefeita da cidade de São Paulo, Marta Suplicy (2001/2004), foi iniciada a construção dos CEU - Centros Educacionais Unificados. A partir de 2005, quando foi iniciada a gestão de Serra / Kassab como prefeitos, não mais foram construídas escolas do tipo implantado pela ex-prefeita, que depois foi eleita Senadora, derrotando o candidato apoiado por Serra e Kassab.

A partir de 2014, o governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, pretende implantar o ensino integral iniciado por Brizola que também foi governador daquele Estado e Prefeito da capital - Porto Alegre.

Mas, para perpetuação do crônico analfabetismo existente no Brasil, o antigo deputado Ulisses Guimarães, bajulado pelos políticos interessados, lutou e conseguiu na Constituição Federal de 1988 o retorno do voto dos analfabetos, extinto pela "Lei Saraiva" (Decreto 3.029/1881), exatamente com a finalidade de coibir o "voto de cabresto" praticado pelos coronéis fazendeiros.

Sobre o "voto de cabresto", veja informações complementares no texto Queremos os Ricos no Governo.

O ESFORÇO PARA COMBATER O ATRASO NA EDUCAÇÃO

A partir de 2003, sob nova mentalidade administrativa em prol dos menos favorecidos, o Brasil tem progredido nessa área educacional, o que tem revoltado os opositores ao governo federal que preferem a perpetuação do analfabetismo e do ensino de má qualidade, razão pela qual os Secretários de Educação dos Estados e Municípios nunca se destacam porque das suas respectivas gestões pouco pode ser elogiado.

Sobre esse descaso com a educação, em 12/12/2013, notícias veiculadas pelo Jornal da Record mostraram o praticado com os estudantes no Maranhão e no Pará, principalmente nas capitais dos dois Estados.

Por sua vez, em 04/12/2013, o articulista do site Perspectiva Crítica mencionava que os resultados do Brasil no PISA (Programa Internacional de Avaliação de Alunos) relativo ao ano de 2012 foram os melhores obtidos pelo Brasil em todos as edições realizadas até os dias de hoje, especialmente tendo como enfoque o Ensino de Matemática.

O problema na forma de ensino da matemática não é novo e reside num erro praticado pelos professores, em razão da ausência de orientação bem organizada por parte de seus superiores e em especial pelo descaso dos Secretários de Educação estaduais e municipais.

Muitos professores querem ensinar a matemática mediante a apresentação da lógica (teoria), quando deveriam apresentá-la na prática para os alunos dos níveis elementar e médio. Os fundamentos teóricos ensinados no nível médio deveriam ser estudados apenas pelos alunos do nível superior.

A GRANDE DIFICULDADE DOS ALUNOS

Na verdade, a grande dúvida dos alunos era, e ainda é, saber onde pode ser utilizado tudo aquilo que está sendo ensinado. Ninguém quer aprender algo que não saiba onde e como poderá aplicar aquele conhecimento adquirido. Na internet, por exemplo, é difícil encontrar uma simples explicação para a utilização prática da trigonometria. Passadas várias décadas, é possível encontrar pessoas dizendo que nunca lhes foi explicado qual seria a aplicação prática da trigonometria, embora alguns livros tenham essa explicação. Mas, muitos professores não repassam essas explicações para os alunos.

Isto significa que grande parcela dos estudantes passou anos aprendendo algo que ainda não sabe para que serve. Isto desestimula o aprendizado. O indivíduo desde o ensino elementar passa a decorar somente para conseguir aprovação ("passar de ano"). Em muitos casos é aprovado sem nada saber, porque o decorado é facilmente esquecido.

Assim sendo, para verificar ou apurar o que de fato tem sido aprendido pelos alunos, a referida avaliação sobre o progresso brasileiro e de outros países foi feita pela OCDE, tomando por base o ensinado aos jovens do mundo inteiro.

De fato é preciso aprender. Não basta decorar. Esse é o grande problema a ser enfrentado pelos alunos, principalmente no estudo da matemática. Quase 50% deles não consegue boas notas justamente porque não aprenderam. Isto é, os professores não lhes souberam explicar.

Num pronunciamento veiculado pela TV Record, o Ministro da Educação Aloísio Mercadante disse em semelhante palavras que "o filme é bom, mas a fotografia ainda não é boa". O jornal O Globo também publicou as declarações do Mercadante, que se referia ao reconhecido progresso na educação dos brasileiros.

Diante da frase proferida pelo Ministro, podemos deduzir que o resultado obtido pelo Brasil foi bom, mas ainda é preciso fazer muito mais. A meta do governo brasileiro seria a da universalização do ensino, para que os mais pobres possam ter o mesmo desempenho educacional e profissional conseguido pelos mais ricos, sem a necessidade de cotas para que os estudantes das escolas públicas consigam ingressar numa universidade.

A NOSSA ELITE TORCE CONTRA O BRASIL

A grande verdade é essa. A nossa elite faz o possível e até o impossível para impedir que o nosso povão possa progredir.

De outro lado, os herdeiros dessa elite não se esforçam para obter os avançados conhecimentos técnicos e científicos porque têm o seu endinheirado futuro garantido pela fortuna armazenada pelos seus antepassados.

Para piorar o desempenho dessa elite, nela existe um enraizado "Complexo de Vira-Latas", alimentado desde os tempos do Brasil Colônia, de que o vindo do estrangeiro é sempre melhor do que o feito no Brasil.

Aliás, antes da chegada de Dom João VI ao Brasil, aqui nada era permitido produzir. Por isso os herdeiros dessa elite oligárquica vivem na praia de costas para o Brasil.

Como vem repetindo o coordenador do COSIFE, a nossa mídia, aliada aos falsos representes do povo nas Casas Legislativas e aos seus mais poderosos anunciantes, tenta perpetuar a desigualdade social no Brasil, embora pudesse ganhar rios de dinheiro, se a população fosse melhor aculturada e, assim, passasse a ler jornais, deixando de apenas assistir às baboseiras quase sempre apresentadas pela televisão.

Veja o texto Torcendo Contra a Seleção Brasileira - Governando Contra o Brasil.

O certo é que os opositores ao Governo Federal desde 2003 estão torcendo para que a Copa do Mundo 2014 seja um fiasco e que haja um novo "MARACANAÇO" como o ocorrido em 1950 quando o Brasil perdeu para o Uruguai a partida decisiva.

Uma nova ocorrência daquela verdadeira catástrofe, seria o jeito de os ricos voltarem a governar o Brasil a partir de 2015. Assim, conseguiriam tirar dos trabalhadores todos os Direitos Sociais obtidos desde o governo de Getúlio Vargas iniciado em 1930.

Como o mesmo intuito de contrariar o Povo, seriam paralisadas as obras que estão sendo realizadas em favor do Eleitor, tal como foi feito com o Hospital da Universidade Federal do Rio de Janeiro após a morte de Getúlio Vargas acontecida em 24/08/1954. Decorridas décadas de paralisação das obras do Hospital Universitário, foi demolida a metade da estrutura do prédio porque não havia condições de ser aproveitada. Simplesmente os vergalhões da estrutura do prédio apodreceram em razão do descaso dos adversários políticos de Vargas.

O presidente Juscelino Kubitschek construiu Brasília mas não destinou um único saco de cimento para o hospital da antiga Universidade do Brasil. O hospital ficou parcialmente pronto e inaugurado em 01/03/1978. A combalida estrutura de concreto restante, existente desde a morte de Getúlio Vargas em 1954, foi implodida em 19/12/2010.

OS LOBISTAS COMO INTERMEDIÁRIOS ENTRE CORRUPTORES E CORRUPTOS

O grande problema enfrentado pela nossa elite jornalística é que os pobres melhor informados jamais votariam nos candidatos que defendem os interesses escusos do grande capital, razão pela qual o Brasil continua como um dos países com elevado índice de corruptos e corruptores. Os lobistas se apresentam como elos de ligação entre essas duas facções criminosas.

OS NÚMEROS POSITIVOS PARA O BRASIL

O citado blogueiro do Perspectiva Critica explica que o Brasil saiu de 300º colocado para 58º posição no quadro geral, conforme veiculou em 03/12/2013 o programa estatal de rádio "A Hora do Brasil". Mas, conforme demonstrou por meio de notícias publicadas pelo Jornal O Globo, a grande mídia publicou o fato inegavelmente positivo como mais um fracasso do governo brasileiro.

Da sua série intitulada "incongruências informativas", o blog Perspectiva Crítica mais uma vez mostra um dos absurdos que têm sido publicados pelos Jornalões, como tentativa de enganar os menos atentos ao que verdadeiramente está acontecendo. Por isso mostra dois artigos diferentes sobre o mesmo tema, publicados num mesmo Jornal.

Pergunta-se: Até que ponto os mercenários da mídia têm a liberdade de manipular as informações?

O método é sempre o mesmo: a manchete negativa aparece em letras grandes, diz uma coisa, mas o conteúdo de daquele artigo e de outro, são diametralmente opostos, contradizendo-se.

ANALISANDO BREVEMENTE O QUE FOI PUBLICADO

Para que se tenha a certeza da existência dessas incongruência, basta que se compare as publicações do Jornal O Globo On Line de 04/12/2013, a seguir sugeridas.

Enquanto a coluna "Agora em Destaque" publica um artigo intitulado "Resultado do Brasil no PISA 2012 mostra que País gasta pouco e mal com educação", com subtítulo "Numa lista de 49 economias feita pela OCDE, despesas por alunos no Brasil deixam o país na 38ª posição".

Em contraponto, o conteúdo de outro artigo publicado na mesma edição traz várias informações positivas sobre os avanços dos resultados do Brasil no ensino, tendo sido afirmado pelo responsável pela avaliação do Pisa 2012 que há muito tempo não via uma melhora quantitativa e qualitativa de qualquer país, como a alcançada pelo Brasil.

Para ver o conteúdo negativista e ao mesmo tempo utilizado como forma de manipulação da opinião pública, acesse: Jornal O Globo - Pisa-2012 Mostra que Brasil gasta pouco e mal com a educação

A despeito das perguntas críticas e ácidas da jornalista entrevistadora, podemos ver o que o responsável pela edição do Pisa 2012 teceu longos e inúmeros elogios ao Brasil e seus resultados, mencionando que falta priorizar o oferecimento de escolas de alta qualidade aos pobres, como é feito na Ásia e tentaram fazer Leonel Brizola e Marta Suplicy.

Para ver o conteúdo positivista e ao mesmo tempo demagógico, acesse: Jornal O Globo - Crianças mais pobres precisam ter acesso às melhores escolas

Particularmente, Andreas Scheleicher, responsável pelo PISA 2012, fez comentários sobre Brasil que se contrapõem ao publicado Jornal O Globo. Veja a seguir uma das incongruências informativas em relação aos mencionados títulos e manchetes sobre o tema:

Como analisar o resultado do Brasil?

ANDREAS SCHLEICHER: "É muito impressionante. O Brasil foi bem-sucedido em levar mais crianças à escola e, ao mesmo tempo, aumentou a qualidade. Entre 2003 e 2012, nenhum outro país teve tanto progresso. Houve também aumento dos investimentos em Educação e progresso na atração dos melhores professores para salas de aula desafiadoras. Mas ainda há muito a fazer. A [péssima] situação econômica das crianças ainda é um poderoso condutor do sucesso escolar no país".

Essa declaração está no Jornal O Globo - Crianças Mais Pobres Precisam Ter Acesso às Melhores Escolas.

O blogueiro do Perspectiva Crítica continua dizendo que na medida do possível tenta demonstrar a abordagem parcial (tendenciosa) da mídia brasileira que está preocupada com a provável derrota de seus pares na eleição presidencial de 2014. Por isso essa Grande Mídia não publica a realidade dos fatos de forma simples e sem rodeios ou inverdades, como deveriam fazer todos meios de comunicação que realmente estão interessados na prestação de um verdadeiro e isento serviço de utilidade pública, que possa ser perfeitamente lido e entendido pela grande maioria da população.

A ELITE BRASILEIRA TEM RENDIMENTO ESCOLAR INFERIOR AO DOS SUBURBANOS

Em 09/12/2013, diante das manifestações contrárias ao que foi escrito pelo Jornal em 04/12/2013, o site do Jornal O Globo, diz que a elite educacional brasileira também fica entre as piores no PISA 2012. No texto lê-se:

"Os maus resultados do Brasil na Educação não se devem apenas à má qualidade da escola pública ou ao baixo desempenho dos alunos mais pobres. A elite brasileira, quando comparada com a de outros países, também se sai muito mal no Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa), ...".

"Considerando apenas os alunos que, pelos critérios da OCDE, estariam entre os 25% de maior nível socioeconômico em cada nação, a elite brasileira figuraria apenas na 57ª posição entre os 65 países. O resultado deixa a desejar mesmo quando esse grupo é comparado com os mais pobres da média da OCDE, grupo que congrega principalmente nações" consideradas como as 65 mais "desenvolvidas. Enquanto os brasileiros no topo da pirâmide social registraram uma média de 437 pontos, os 25% mais pobres da OCDE tiveram média de 452 pontos".

COMO AUMENTAR A VENDAGEM E A LEITURA DE JORNAIS?

O fato da boa informação ser lida e entendida por maior número de pessoas, naturalmente aumentaria a vendagem de jornais, por exemplo. Porém, para conseguir seus mesquinhos intentos segregacionistas, a Grande Mídia despreza até os maiores lucros que conseguiria com a venda de jornais patrocinados pelo Grande Capital. O povo está deixando de comprar os jornais justamente porque está cansado de ler mentiras.

Assim sendo, os tradicionais meios de comunicação impressa só têm conseguido atingir uma pequena parcela da população (chamada de elite), composta de eleitores dos políticos que lutam pela perpetuação da desigualdade social existente no Brasil.

OS MERCENÁRIOS DA MÍDIA COMO AGENTES DA DESINFORMAÇÃO

Poderíamos acrescentar o que tem sido publicado no COSIFE, que chama tais agentes da desinformação pela alcunha de "mercenários da mídia", sempre a serviço dos preconceituosos e discriminadores.

O blog Perspectiva Crítica por diversas vezes tem mostrado a parcialidade da mídia brasileira, sempre em oposição aos governantes brasileiros a partir de 2003, assim como também eram ferrenhos opositores de Getúlio Vargas, João Goulart e Leonel Brizola e de todos os demais governantes que agiam ou agem em benefício do Povo.

Numa orquestrada campanha antipatriótica, os mercenários da mídia a serviço do grande capital nacional e internacional sempre apresentam perspectivas econômicas desfavoráveis para o Brasil, embora tenham sido positivas desde 2003, o que levou o Brasil a condição de 6ª potência mundial em PIB - Produto Interno Bruto. Em 2002 o Brasil estava na 15ª posição.

O blog Perspectiva Crítica menciona ainda que está atento para observar e denunciar a deturpação da informação ao público em todas as áreas. O mesmo tem feito o COSIFE.

Então, naquele site foi escrita a seguinte frase, também de difícil compreensão pelo cidadão comum:

Dialética sim, mas com enfoque e compromisso com a imagem real dos fatos publicados sobre qualquer tema. Artigo informativo é diferente de artigo indutivo.

Isto é, os Mercenários da Mídia de todas as formas tentam manipular (induzir) a Opinião Pública para que sejam conseguidos os mesquinhos intentos de seus mais poderosos anunciantes, deixando de lado (escondendo ou deturpando) o que realmente deveria ser informado.

Procurando-se notícias do passado, foi encontrado o seguinte texto publicado em 07/12/2010 pelo Último Segundo - IG - Educação.

Ao contrário do veiculado durante o Governo Dilma, no final do Governo Lula, lia-se:

ALUNOS DA REDE FEDERAL ESTÃO ENTRE OS MELHORES DO MUNDO

Média obtida em avaliação internacional por eles supera a de países como Canadá e Reino Unido e encosta no Japão

Por Priscilla Borges, Último Segundo - iG - Educação - Brasília em 07/12/2010, com edição do texto original por Américo G Parada Fº - Contador - Coordenador do COSIFE

Se a maioria dos estudantes brasileiros não consegue ler, fazer cálculos matemáticos e compreender a ciência como a maioria dos jovens de países desenvolvidos como Inglaterra, França, Estados Unidos, Canadá e Japão, há um grupo seleto de alunos do País [chamado de BRASIL] que consegue até superá-los [como aconteceu por ocasião da realização do trabalho de pesquisa executado pelo] Programa de Avaliação Internacional de Estudantes (PISA).

As notas do último exame educacional, criado pelos países [membros] da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) para verificar a qualidade de ensino nos países desenvolvidos e parceiros, mostraram que os estudantes da rede federal [brasileira] de educação básica obtiveram desempenhos tão bons ou até superiores aos de muitos alunos que vivem em países muito desenvolvidos.

Relatório divulgado pela OCDE aponta que a nota em leitura desses estudantes da rede pública federal [brasileira] ficou em 535. A média dos países desenvolvidos na área é de 493 pontos.

Em matemática, a situação se repete. Foram 521 pontos obtidos pelos alunos da rede federal [do Brasil] contra 495 da OCDE.

Em ciências, os brasileiros ficaram com 528 e os desenvolvidos, 500 pontos. A média geral da rede ficou em 528.

Essa média [alcançada pelos alunos da rede federal do Brasil] está à frente de países como França, Estados Unidos, Israel, Espanha, Reino Unido, Dinamarca, Alemanha, Austrália e Canadá. Só perde para a o Japão (529 pontos), Coreia (541), Cingapura e Finlândia (543), Hong Kong (546) e Shangai (577).

Vale lembrar que a China preferiu não colocar todas as províncias e regiões do país para realizar as provas. Apenas algumas participaram do PISA. Na China existem dezenas de dialetos regionais,  razão pela qual fica difícil a comunicação entre os alunos das diversas localidades.

É uma rede pequena, mas é a prova de que o setor público [federal brasileiro] sabe oferecer uma boa educação. Para isso, tem de remunerar bem o professor, investir em laboratório e investir em educação integral. Todos são componentes do sucesso educacional”, ressaltou o ministro da Educação, Fernando Haddad [em 2010]. Os estudantes das escolas federais ficaram com resultados melhores do que a rede privada brasileira.

NOTAS POR REDES DE ENSINO

Dependência administrativa Média Leitura Matemática Ciências
Rede pública federal 528 535 521 528
Rede privada 502 516 486 505
Rede pública (estadual e municipal) 387 398 372 392

Fonte: Ministério da Educação/PISA - Último Segundo / IG Educação

PÚBLICO E PRIVADO

Na rede particular, os resultados também foram bons. A média geral dos alunos dos colégios privados nas três áreas do conhecimento foi de 502 pontos, com destaque para leitura (516 pontos).

A rede pública estadual e municipal, no entanto, apresentou diferenças gritantes de desempenho. A média geral desses estudantes foi de 387 pontos. A nota mais alta, em leitura, foi de 398.

NOTA DO COSIFE: A tabela acima comprova (dá veracidade a) o que tem sido alertado neste COSIFE. As Secretarias de Educação dos Estados e Municípios brasileiros estão desprezando a necessária educação dos menos aquinhoados brasileiros. Por tal motivo, são pouquíssimos os governantes e seus respectivos secretários de educação (municipal e estadual) que se destacam no cenário político brasileiro. Foi esse descaso dos extremistas de direita que fomentou o crescimento do PT como partido político das classes sociais menos favorecidas (C, D e E).

Para Haddad [Prefeito da cidade de São Paulo a partir de 2013], apesar das diferenças, o País [chamado de BRASIL] está no caminho certo e deve aprender com as boas práticas nacionais e internacionais. “O sistema educacional brasileiro está reagindo aos estímulos. Crescemos 17 pontos no último triênio [até 2010]. Aparentemente, estamos no rumo certo”, pondera. “O ingrediente do sucesso é dar mais autonomia combinada com mais responsabilização”, defende.

O ministro [naquela época acreditava e provavelmente ainda acredita] que a realização das olimpíadas de conhecimento, especialmente a de matemática, pode ter influenciado positivamente na melhora das notas dos brasileiros na disciplina. Segundo ele, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva [de 2003 a 2010] vinha pedindo que o ministério criasse jogos de incentivo ao estudo das ciências.

NOTA DO COSIFE: Observe que a redatora do IG evitou escrever a palavra "BRASIL".