início > textos Ano XX - 20 de setembro de 2019



QR - Mobile Link
CANSADO DE FICAR DEITADO, O GIGANTE ACORDOU

CANSADO DE FICAR DEITADO, O GIGANTE ACORDOU

REFLETINDO SOBRE OS MOVIMENTOS POPULARES ACONTECIDOS

São Paulo, 18/06/2013 (Revisado em 09-10-2013)

Referências:

CANSADO DE FICAR DEITADO EM BERÇO ESPLÊNDIDO, O GIGANTE ACORDOU

Por Américo G Parada Fº - Contador - Coordenador do COSIFe

ACORDANDO A SONOLENTA DILMA

Enquanto a Presidenta Dilma sonolenta pisava na bola, perseguindo os servidores públicos e adulando o empresariado que quer ficar livre dos tributos, que segundo eles devem ser cobrados apenas do Povo, os falsos partidos de oposição (esquerdistas), que faziam o mesmo discurso dos verdadeiros partidos de oposição (direitistas), mexiam seus pauzinhos na tentativa de mostrar que também existem.

Em virtude dessa disputa partidária maniqueísta (entre o bem absoluto e o mal absoluto ou entre Deus e o Diabo) com mesmo intuito de amaldiçoar o Governo Federal, os esquerdistas fizeram um enorme estrago. Além de fortalecerem a extrema-direita, fortaleceram os ideais anarquistas e ainda os vândalos, os apátridas e os apartidários.

PROVOCANDO UM LEVANTE NACIONAL

Foi assim que o pequeno PSTU - Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado fez um verdadeiro levante nacional, quase provocando uma Guerra Civil. Conseguiu acordar o gigante adormecido em berço esplêndido e também acordou a nossa Presidenta que só tinha olhos para o empresariado que desde o Governo FHC cobrava a desoneração de seus custos tributários. Mas, FHC fez o inverso; aumentou os tributos que deveriam ser pagos pelos empresários. Mesmo assim estes continuam fiéis àquele.

Em suma, tais empresários não querem pagar impostos, por isso aqueles que são os grandes sonegadores fazem a blindagem fiscal e patrimonial de seus bens, direitos e valores por intermédio de Paraísos Fiscais para evitar que judicialmente sejam arestados para pagamento de suas elevadas dívidas tributárias.

CONFUNDIDO OS EXTREMISTAS DE DIREITA

Desse modo, o PSTU também conseguiu criar a maior confusão na cabeça da classe média alta, aquela minoria que ainda apoia os partidos políticos que fazem oposição ao governo federal.

Muitos desses extremistas de direita chegaram a acreditar que estava sendo ressuscitado o Movimento CANSEI, dos "cassados de derrota", conforme os denominou o apresentador da TV Record, Paulo Henrique Amorim, que é o coordenador do site "Conversa Afiada", colocado no ar depois do COSIFE, tal como o Google e o Wikipédia.

Isto significa que o COSIFe e o "Conversa Afiada" não conseguiram agradar os militantes da extrema-direita, por isso não cresceram tanto quanto os dois grandes sites citados. O fato de não ter agradado os extremistas de direita até pode ser considerado um ato patriótico.

A ATUAÇÃO DOS EXTREMISTAS DE DIREITA

Dessa façanha do PSTU, do PCO e do PSOL, aproveitaram-se os patrões que colocaram os seus apadrinhados nas ruas com os cartazes do "FORA DILMA".

Nas passeatas, dizendo que só podiam ser hasteadas bandeiras brasileiras, os representantes do poderio econômico rasgavam e ateavam fogo nas bandeiras daqueles pequenos partidos políticos que inocentemente convocaram as passeatas.

Dessa imensa balbúrdia, também aproveitaram-se o PPS e o PV, que sempre apoiam e se aliam aos grandes opositores do progresso brasileiro.

DESFAZENDO O MAL-ENTENDIDO

Numa quinta-feira durante uma das passeatas, em sua propaganda eleitoral gratuita na televisão, a representante do PCO - Partido da Causa Operária disse que, apesar de seu partido ser oposicionista ao governo federal, não estava fazendo campanha contra a Presidenta Dilma. Desse modo tentou explicar que seus partidários não empunhavam o "FORA DILMA".

DECLARAÇÕES RAIVOSAS CONTRA O GOVERNO FEDERAL

Quintas-feiras depois, o PPS, usando a verba governamental dada aos partidos políticos, colocou nos meios de comunicação uma propaganda totalmente contrária ao governo federal, cujas palavras até certo ponto raivosas eram proferidas pelo seu líder, o pernambucano Roberto Freire, que se elege por São Paulo porque não consegue a mesma proeza em Pernambuco.

TORCENDO CONTRA A SELEÇÃO BRASILEIRA

Parece que todos estes sempre estão torcendo contra a seleção brasileira de futebol. Devem ser descendentes de argentinos, paraguaios, uruguaios ou dos demais sul-americanos. Ou, então, são descendentes de outros estrangeiros oriundos da Europa, frequentemente derrotados pelo Brasil no campo de futebol, que desde 2003 também estão sendo derrotados no campo da política economia nacional.

A bem da verdade torna-se necessário dizer que no Brasil existem muitos estrangeiros que gostam tanto do nosso País a ponto de se dizerem brasileiros por não terem a menor vontade de viver em outro país, nem no de sua origem.

De forma contrária agem aqueles falsos brasileiros (os extremistas de direita) que só compram produtos importados, mesmo que existam similares fabricados no Brasil. São aqueles que preferem exportar matérias-primas para que não sejam criados os empregos que a sofrida população brasileira tanto necessita.

O BRASIL NÃO VAI SER UM ETERNO FORNECEDOR DE MATÉRIAS-PRIMAS

Sobre esse fato, na Europa a Presidente Dilma disse que o Brasil não pretende ficar eternamente como mero exportador de matérias-primas e como importador de produtos supérfluos industrializados no estrangeiro. Isto é, se o empresariado brasileiro não quiser industrializar as matérias-primas exportadas, alguém deverá assumir essa função. E esse alguém será o governo. Isto significa que ao governo federal não restará outra alternativa se o empresariado não quiser colaborar para o progresso do Brasil.

O RENASCIMENTO DO "CANSEI" DOS CANSADOS DE DERROTAS

Durante as manifestações convocadas pelo PSTU, no facebook era possível ver partidários da extrema-direita achando que as revoltas ou passeatas aconteceram em grande parte do Brasil  para que fosse pedido o impeachment da Presidenta Dilma, tal como fizeram os movimentos dos cansados de derrotas de outrora, que queriam tirar o Lula do governo, assim como tiraram Fernando Collor, João Goulart e provocaram o suicídio de Getúlio Vargas.

Na América do Sul os extremistas de direita em 1973 derrubaram Salvador Allende no Chile e colocaram no seu lugar como ditador o general Augusto Pinochet que foi condenado por um júri internacional pela prática de crimes contra a humanidade.

Na Venezuela, Hugo Chávez também foi derrubado por dois dias. O povo o reconduziu ao governo, tal como fizeram os eleitores brasileiros com João Goulart antes do Golpe Militar de 1964.

A mesma extirpe de extremistas de direita queria que o Brasil invadisse o Paraguai para que não fossem pagos os royalties pelo uso da parte do território paraguaio em que se encontra o complexo gerador de energia elétrica de Itaipu.

Recentemente, idêntica facção de direitistas derrubou o governo paraguaio. Pouco antes, os seus pares brasileiros queriam derrubar Evo Morales da Bolívia.

Os falsos brasileiros, representantes do grande capital internacional, queriam que as nossas Forças Armadas invadissem a Bolívia para derrubar Evo Morales só porque patrioticamente encampou as empresas norte-americanas e de roldão encampou também a subsidiária da Petrobras em seu País, mas, prometendo pagar a forçada aquisição (encampação) com o fornecimento de gás natural.

AGRADANDO A GREGOS E TROIANOS

Em razão do tipo de discurso oposicionista ao governo federal, alguns dos extremistas de direita chegaram a ironizar o PSTU, dizendo que aquele partido político conseguiu até açambarcar a burguesia brasileira que nunca sabe por quem e por que lutar.

NOVAMENTE DESFAZENDO O MAL-ENTENDIDO

A exemplo do PCO, o PSTU também passou a esclarecer que o alvo principal dos protestos de seus partidários não era a Presidenta Dilma. As manifestações eram contrárias ao Governo Alkmin que desmantelou o sistema de segurança pública paulista e também contrárias ao empresariado dos transportes coletivos, principalmente no que concerne ao atendimento das necessidades mínimas dos moradores da periferia das cidade de São Paulo e do Rio de Janeiro.

OS VERDADEIROS ALIADOS DO EMPRESARIADO

A bem da verdade é preciso esclarecer que os  maus administradores do transporte público paulistano na periferia contavam com o irrestrito apoio dos ex-prefeitos Maluf, Pitta, Serra e Kassab.

ATÉ MALUF EMBARCOU NA CANOA FURADA

Já que as passeatas  reclamavam da falta de segurança pública, Maluf usando a verba governamental destinada aos partidos políticos, também apareceu na "telinha" dizendo que na sua época os bandidos tinham medo da polícia. Dizia: Eu coloquei a Rota na rua!

O BALANÇO FINAL DAS MANIFESTAÇÕES

Em suma, todos se aproveitaram do grande feito do PSTU, PCO e PSOL. Até os vândalos e os anarquistas mostraram do que são capazes.

Assim, as manifestações tornaram-se atos desgovernados, sem liderança, apartidários e impatrióticos. Alguns chegaram a dizer que das manifestações se apropriaram os fascistas.

AS PRIVATIZAÇÕES POUCO ACONTECERAM NO ESTADO DE SÃO PAULO

É interessante notar que no Estado de São Paulo, quase nada foi privatizado. Durante o Governo FHC as privatizações só ocorreram na esfera do governo federal e nos demais estados da federação. Por isso, os partidos políticos que representam o operariado, estão brigando contra a iniciativa privada, tal como também vem fazendo o COSIFe.

Afinal, os partidos políticos que apoiaram as privatização eram parte da coligação que governava São Paulo, onde poucas empresas estatais foram privatizadas.

IMPLANTANDO UM GOVERNO PARALELO

Como no Estado de São Paulo eles já controlavam as estatais, nos demais estados elas seriam controladas pelos empresários aliados ou por intermédio das Agências Nacionais Reguladoras, que assumiriam o controle da economia por intermédio das principais privatizadas como uma forma de Governo Paralelo, caso Lula ou outro esquerdista fosse eleito.

ENRIQUECENDO A CUSTA DOS COITADOS

O grande problema enfrentado pela classe trabalhadora foi que os empresários aliados ao Governo FHC absorveram as estatais privatizadas que exploravam e ainda exploram a maior parte dos serviços públicos estritamente necessários à população de baixa renda e nada fizeram para melhorar os serviços prestados. Mediante um absurdo aumento dos preços desses serviços, passaram a usufruir dos altíssimos lucros, sem quase nada investir.

O COSIFE APENAS COMENTA E ADVERTE SOBRE A BAGUNÇA REINANTE

No programa político do PCO - Partido da Causa Operária, na quinta-feira (13/06/2013), seus dirigentes resumidamente falaram quase tudo que está escrito no COSIFe. Ficou parecendo que o COSIFe está aliado ao PCO e ao PSTU.

Na realidade o COSIFe também defende o bem-estar da coletividade para que num breve futuro toda a nossa população possa gozar do Muito Elevado IDH - Índice de Desenvolvimento Humano, tal como as populações dos países chamados de desenvolvidos por enquanto ainda gozam. O futuro deles é negro sem matérias-primas e consequentemente sem exportações.

IMPEDINDO O BRASIL DE SER UM PAÍS DESENVOLVIDO

O Brasil só não é considerado um país desenvolvido porque seus antigos governantes (escravocratas), excetuando-se Getúlio Vargas e João Goulart, nada fizeram para que fosse elevado o IDH da nossa população.

Outro motivo do nosso atraso está na mentalidade escravocrata da nossa oligarquia empresarial que sempre preferiu exportar produtos "in natura", sem qualquer industrialização, justamente para que os descendentes dos ex-escravos de seus antepassados não consigam emprego.

Com essa mesma finalidade, a partir da abolição da escravatura passaram o importar trabalhadores europeus, que naquela época viviam em péssimas condições em razão da mentalidade feudal (também escravocrata) da nobreza europeia.

OS TRABALHADORES BRASILEIROS SÃO VAGABUNDOS

Depois que melhoraram de vida, aqueles imigrantes europeus que famintos chegaram ao Brasil passaram a dizer que os brasileiros não progrediam porque eram vagabundos. Na verdade eram discriminados porque eram descendentes dos antigos escravos.

Aliás, FHC também disse que os aposentados brasileiros eram vagabundos, apesar de terem sua mísera aposentadoria depois de 35 anos de árduo trabalho. FHC tem várias aposentadorias e não trabalhou durante tanto tempo. Se elegeu com o voto dos vagabundos, incluindo o dos servidores públicos de "sangue azul", conforme os denominou a Presidenta Dilma Russeff.

O DESCASO COM O TRANSPORTE PÚBLICO NA PERIFERIA OU SUBÚRBIO

No Rio de Janeiro a SUPERVIA é a empresa privada que explora os trens que servem aos "suburbanos" e a Barcas S/A é outra empresa que explora o transporte marítimo Rio-Niterói. Ambas foram criadas para assumir o patrimônio das antigas estatais que foram privatizadas durante o Governo FHC.

Em 2013 foram completados 16 anos desde as privatizações, mas os administradores das citadas nunca compraram um trem ou uma barca sequer. Eles nem têm vergonha de colocar a sua denominação social naqueles trens mal conservados. Os novos trens estão sendo comprados pelo governo.

Aliás, as barcas do transporte de passageiros entre o Rio de Janeiro e Niterói são as mesmas que navegavam nas décadas de 1950 e 1960. Algumas foram reformadas e outras desativadas.

Não se pode desprezar as barcas de Niterói (os cariocas não dizem que as barcas são do Rio de Janeiro) porque são iguais as utilizadas em Seatle, cidade do extremo noroeste dos Estados Unidos, fronteira com o Canadá, em que fica a sede da Microsoft, uma das fábricas da Boing e é um grande centro de pesquisas científicas tecnológicas.

Na realidade as barcas assim como os trens foram construídos para que durassem no mínimo 100 anos, desde que tivessem uma perfeita manutenção, o que não vem acontecendo com os trens cariocas. São os mesmos que trafegavam há 60 anos, porém, apresentam visível precariedade.

O RESULTADO NEGATIVO DA PRIVATIZAÇÃO DAS FERROVIAS

Apesar das empresas de transporte ferroviário no Rio de Janeiro serem particulares (pertencentes à chamada iniciativa privada, que nenhuma iniciativa mostrou ou demonstrou em 16 anos), quem está fornecendo o dinheiro para modernização dos trens velhos e para compra de novos trens é o Programa Estadual de Transportes. Isto é, o governo é quem está investindo e não os privilegiados PRIVATAS, que estão ficando ricos a custa do Povão.

O interessante é que antes das privatizações o Brasil era um importante fabricante de trens. A empresa estatal brasileira tinha fábrica nos Estados Unidos para vender trens também naquele país em associação com uma empresa norte-americana.

Agora os velhos trens que circulam no Brasil são apenas reformados aqui por ex-funcionários das empresas que foram fechadas. As instalações abandonas por falta de encomendas de novos trens, foram assumidas pelos funcionários em pagamento de seus direitos trabalhistas. Para não dar trabalho para aqueles antigos ferroviários, os trens passaram a ser importados.

VENDENDO O PATRIMÔNIO NACIONAL A PREÇO DE SUCATA

Isto pode significar que a real intenção do Governo FHC em privatizar as ferrovias era para que fossem desativadas e que todos os bens fossem vendidos como sucata, como de fato aconteceu.

A segunda intenção, talvez a principal, foi a de causar desemprego, porque os trabalhadores eram considerados os causadores da reinante inflação nos anos anteriores.

A tese dos cientistas econômicos era a de que, com os trabalhadores desempregados, o consumo diminuiria e consequentemente seria freado o surto inflacionário. Ou seja, em vez de incentivarem os empresários a produzirem mais para evitar o ágio reinante, preferiram destruir, falir, quebrar os consumidores, causando assim muita miséria nas favelas e um grande surto de criminalidade.

A ESTATIZAÇÃO DO TRANSPORTE PÚBLICO

O PSTU e o Movimento Passe Livre pedem a estatização do transporte público e que ele seja gratuito.

De fato nas principais cidades do mundo, inclusive nos Estados Unidos, o transporte público é subsidiado pelo governo.

Estando o nosso povo entre os 95% mais pobres cidadãos e cidadãs do Brasil, não há razão para que continuem pagando alto preço pelas passagens. Mas, para que isto ocorra é preciso que os 5% que detêm as riquezas no nosso Brasil queiram religiosamente pagar os tributos necessários, sem as constantes falcatruas por eles praticadas para se isentarem desse pagamento ou dessa cívica contribuição.

QUEM DE FATO BRIGOU PELO TRANSPORTE MAIS BARATO

O Senador Eduardo Suplicy, eleito pelo Estado de São Paulo, sempre brigou para que o transporte público fosse mais barato. A ex-prefeita da cidade de São Paulo, Luíza Erundina, também. Mas, depois que o Povo elegeu Maluf e Pitta foi provocada uma enorme bagunça para justificar a privatização da CMTC - Companhia Municipal de Transporte Coletivos. Depois da privatização foram retirados de circulação os ônibus elétricos que circulavam em toda a cidade de São Paulo.

Diante do caos nos transportes coletivos, foi eleita Marta Suplicy, que decretou a intervenção em 17 das empresas privadas, mas, por falta de verbas oriundas de tributos, a prefeita transferiu as concessões para as demais empresas ou consórcios de empresas (cartéis) existentes. Entretanto, a prefeita conseguiu verbas federais para construir estações de passageiros na antiga estrada de ferro Sorocabana, que tinha sido desativada com apenas 20 anos de uso por Maluf quando era governador biônico do Estado de São Paulo. Para agilizar os transportes coletivos, Marta Suplicy introduziu os ônibus articulados que já eram utilizados em Curitiba - PR.

Por ocasião da intervenção das empresas de ônibus, Marta Suplicy descobriu que, com os lucros gerados pelo povão, os donos das empresas desfilavam com carrões importados e ainda existiam empresas em que foram encontrados iates e até helicópteros adquiridos para utilização dos patrões. Era a população menos favorecida quem pagava por toda aquela esnobe mordomia.

Dos trens de Sampa não há muito o que reclamar porque são estatais. Há uma perfeita integração entre trens, metro e ônibus, cujo trabalho foi iniciado no governo de Marta Suplicy de 2001 a 2004, como desejava fazer o seu ex-marido Eduardo Suplicy que foi derrotado por Paulo Maluf para suceder Luíza Erundina.

O grande problema paulistano está nos ônibus da periferia que são de empresas privadas, na mais plena acepção da palavra "privada", conforme já havia sido apurado por Marta Suplicy, razão pela qual decretou a intervenção governamental em 17 dessas empresas privadas, verdadeiras latrinas.

O ABANDONO DOS RAMAIS FERROVIÁRIOS

No restante do Estado de São Paulo não mais existem trens de passageiros. Existe apenas ramais turísticos de pequena extensão. Circulam apenas os trens cargueiros da ALL - América Latina Logística que têm promovido acidentes em quase todas as semanas por falta de manutenção da via férrea e dos próprios vagões e locomotivas. Estão acabando com o patrimônio recebido da RFFSA - Rede Ferroviária Federal S/A, também sem nada investir.

OS PARTIDÁRIOS DA EXTREMA-DIREITA ESTÃO FESTEJANDO

Alguém disse: "Você acredita que tem tucanista (agente do tucanato) achando que estão tentando derrubar a Dilma?"

Para ser sincero, de início também pensei que fosse mais uma trama como aquela do movimento CANSEI ou daquelas pessoas da Associação Comercial de São Paulo que inventaram o Impostômetro. Na mesma linha, o governo do Estado de São Paulo criou o Salariômetro.

Agora os procuradores da fazenda nacional, em contrapartida, inventaram o Sonegômetro, que mostra quanto o empresariado está sonegando de tributos desde o início de 2013.

O PROTESTO É CONTRA OS GOVERNOS ESTADUAL E MUNICIPAL

Via-se na televisão os manifestantes invadindo o palácio do Alkmin em Sampa no bairro Classe "A" do Morumbi e do Anastasia em BH. Tinha gente subindo no teto do Congresso Nacional, incendiando o Ministério das Relações Exteriores (Itamaraty), depredando a sede da Prefeitura de São Paulo. Mas ninguém estava querendo invadir o Palácio do Planalto para reclamar da Dilma.

Os partidos de oposição, por sua vez, passaram a dizer para os repórteres que a aprovação popular da Dilma está caindo vertiginosamente.

De fato, foi um verdadeiro suicídio pensar em Copa do Mundo e em Olimpíadas sem fazer casas para o povo, sem a radical melhoria na saúde pública e na educação e sem a melhoria do transporte coletivo urbano.

Certo é, segundo alegações do governo central, que o dinheiro é religiosamente mandado para governadores e prefeitos, porém, estes o desviam para outras finalidades que não seriam em benefício do Povo. Por esse torpe motivo, existem mais de 20 mil ações judiciais contra prefeitos em todo o Brasil.

A COPA DO MUNDO É UMA VERGONHA E AS EMPREITEIRAS TAMBÉM

Alguém me disse: Realmente a Copa do Mundo é uma vergonha.

Não seria tão vergonhosa se os empreiteiros de obras públicas não superfaturassem em Licitações. Pelo menos, com tal dinheiro "desviado" (quis dizer "roubado"), as empreiteiras de obras públicas poderiam dar de presente ao Povo as moradias populares que precisam e as escolas e ambulatórios que seriam doados ao governo.

O PSTU em seu site diz que a briga não é exatamente contra o evento "Copa do Mundo". Trata-se de revolta contra o empresariado que dominou as licitações públicas e superfaturou as empreitadas, em detrimento dos investimentos que deveriam ser aplicados no efetivo serviço público.

Por sua vez, os empreiteiros se defendem dizendo que cobram mais caro porque muitas previsões de custeamento são imprecisas.

Isto significa que há falta de harmonia técnica e profissional entre os engenheiros e os contadores especializados na contabilidade de custos, não por culpa destes, mas por culpa da incapacidade ou incompetência do empresariado, principalmente daquele aventureiro e inescrupuloso que nenhuma formação técnica ou científica tem que o habilite a bem administrar uma empresa.

PRONUNCIAMENTO DE LULA E DILMA

Lula e Dilma se pronunciaram dizendo que consideram legítima a mobilização popular e que têm certeza de que os prefeitos e governadores irão se reunir para que sejam tomadas medidas necessárias. Vão procurar as entidades organizadoras dos protestos para buscar o melhor entendimento. Um grande recado aos maus governantes estaduais e municipais.

CONCLUSÃO

Na realidade quase todas reivindicações populares são da alçada dos governadores e dos prefeitos: educação, saúde, transporte.

Entre as demais reivindicações, uma das mais importantes, que é a de punir as empreiteiras, é da alçada do poder judiciário, depois que forem apuradas as irregularidades pelos órgãos competentes.

Quanto à retirada dos falsos representantes do povo da Câmara dos Deputados e do Senado, essa é atribuição exclusiva dos eleitores (o Povão).

Infelizmente os esquerdistas convencem a Gregos e Troianos, mas não conseguem convencer o Povão, que sempre vota nos seus antigos algozes (preconceituosos e discriminadores).

Alguma coisa deve estar errada na forma de os esquerdistas se dirigirem ao Povão. Nessas manifestações eles só conseguiram agradar os direitistas.