início > contabilidade Ano XX - 22 de abril de 2019



QR - Mobile Link
CENTROS DE CUSTEAMENTO

CONTABILIDADE DE CUSTOS

ASPECTOS CONTÁBEIS E OPERACIONAIS

O CONTROLE DO ATIVO FIXO E OS CENTROS DE CUSTEAMENTO

No texto intitulado O Controle do Ativo Fixo e a Contabilidade de Custos há um histórico dos fatos acontecidos sobre o Controle do Ativo Fixo no Brasil nos tempos em que sofríamos de um grande mal que era a hiperinflação. Por fim, aquele texto chama a atenção do leitor para um esquema básico de Estruturação do Controle do Ativo Fixo.

Nesse esquema poderemos observar que inicialmente as empresas podem ser subdivididas de forma que seus custos fixos sejam alocados em centros de custeamento. Assim sendo, podemos definir como centros de custeamento básicos os seguintes:

  1. ADMINISTRAÇÃO
  2. VENDAS
  3. PRODUÇÃO
  4. ARMAZENAMENTO
  5. DISTRIBUIÇÃO

Veja no Esquema Básico para Estabelecimento dos Centros de Custeamento como podem ser alocados e controlados os demais Centros de Custeamento subalternos.

1. CUSTOS DE ADMINISTRAÇÃO

Geralmente estão incorporadas aos custos gerais de manutenção da Diretoria Administrativa os gastos com a burocracia empresarial, que se estende por departamentos ou seções de tesouraria, contabilidade, auditoria, assessoria jurídica e econômica, assistência social  e relações humanas, entre outros. A esses custos também podem ser incorporadas despesas administrativas, as receitas e despesas financeiras e resultados eventuais, chamados de não operacionais.

Cabe salientar que as despesas e receitas financeiras são incorporadas ao setor administrativo porque geralmente é atribuído a este setor o gerenciamento das aplicações financeiras das disponibilidades monetárias eventualmente existentes e das captações de recursos financeiros necessários ao capital de giro e ao financiamento de bens de produção, sendo obrigado a conseguir os resultados financeiros mais favoráveis ao empreendimento. Veja outras explicações em Contabilidade Financeira.

No caso dos gastos financeiros com o financiamento dos bens de produção, estes também podem ser incorporados diretamente ao custo dos bens produzidos para comercialização, embora caiba ao setor administrativo a procura de condições mais favoráveis ao financiamento, exceto quando o bem é diretamente financiado pelo seu fabricante.

Aos custos administrativos ainda serão incorporados os custos fixos relativos à depreciação dos bens móveis e imóveis utilizados no setor administrativo e os gastos com aluguel ou arrendamento mercantil de imóveis, móveis e equipamentos. Também serão incorporados ao setor administrativo, geralmente por rateio, os custos variáveis representados por despesas com luz, gás, telefone, água, limpeza, conservação de bens e instalações, material de escritório, entre outros gastos pertinentes. O gerenciamento e controle administrativo é feito mediante a Contabilidade Gerencial, que também fica incumbida de elaborar os Orçamentos de Implantação de novas unidades operacionais e de Reestruturação das já existentes; também cabe à Contabilidade Gerencial a elaboração e o controle do Orçamento de Gestão anual.

2. CUSTOS DE VENDAS

Além dos custos com a equipe de vendedores e das representações comerciais, nesse segmento operacional são apurados também os gastos com estocagem de produtos acabados e de sua distribuição e as despesas com propaganda e publicidade.

Ao custeamento das vendas também podem ser apropriados os custos administrativos de apoio ao Departamento de Vendas como os de recebimento e processamento dos pedidos, de faturamento, de distribuição e de cobrança.

Tal como acontece com os custos administrativos, aos custos de vendas serão ainda incorporados os custos fixos relativos à depreciação dos bens móveis e imóveis utilizados no setor e os gastos com aluguel ou arrendamento mercantil de imóveis, móveis e equipamentos. Também serão incorporados ao setor, geralmente por rateio, os custos variáveis representados por despesas com luz, gás, telefone, água, limpeza, conservação de bens e instalações, material de escritório, entre outros gastos pertinentes.

Os Custos de Vendas estão diretamente ligados à Produção visto que muitas empresas só começam a produzir depois de efetuadas as vendas do que se vai produzir. Outras empresas produzem paulatinamente o que será vendido em épocas especiais como no Natal, Carnaval, Feriados Prolongados, Dias das Mães ou dos Pais, Páscoa, épocas de plantio ou de colheita, etc...

3. CUSTOS DE PRODUÇÃO

Além dos custos das matérias-primas, insumos, peças e componentes utilizados na produção, serão ainda adicionados os custos de estocagem das matérias-primas, insumos, peças e componentes e de produtos semi-acabados ou em elaboração.

Tal como acontece com os custos administrativos e de vendas, aos custos de produção serão ainda incorporados os custos fixos relativos à depreciação dos bens móveis e imóveis utilizados no setor e os gastos com aluguel ou arrendamento mercantil de imóveis, móveis e equipamentos. Também serão incorporados ao setor, geralmente por rateio, os custos variáveis representados por despesas com luz, gás, telefone, água, limpeza, conservação de bens e instalações, material de escritório, entre outros gastos pertinentes.

Algumas indústrias, no estabelecimento dos custos de fabricação costumam utilizar o sistema de CUSTO PADRÃO. O custo padrão pode ser estabelecido por unidade produzida (nas indústrias), por milhas de vôo (nas empresas de transporte aéreo) ou por quilômetro rodado (nas empresas de transporte rodoviário ou ferroviário) e assim nos demais ramos de atividade.

4. CUSTOS DE ARMAZENAMENTO

Existem vários tipos de armazenamento:

1) - Armazenamento de Matérias-Primas - utilizadas na Produção;

2) - Armazenamento de Produtos em Elaboração - que podem ser conjuntos pré-fabricados utilizados em vários produtos finais e que na linha de produção ficaram para término em etapa seguinte;

3) - Armazenamento de Produtos Acabados - Para Venda;

4) - Armazenamento de Produtos para Revenda - adquiridos de terceiros;

5) - Armazenamento de Peças de Reposição e Manutenção

Assim sendo, os custos de armazenamento devem ser apropriados a cada centro de custeamento pertinente.

5. CUSTOS DE DISTRIBUIÇÃO

Os custos de distribuição geralmente estão ligados às Vendas, portanto, deve ser apropriado ao Departamento de Vendas.

Quando a empresa tem frota própria para distribuição de seus produtos, o que geralmente acontece com as indústrias de alimentos, nesse centro de custeamento estarão as despesas com os veículos, garagem, estacionamento, oficina de manutenção, entre outros custos fixos e variáveis - diretos e indiretos.


(...)

Quer ver mais! Assine o Cosif Eletrônico.