início > cursos Ano XX - 16 de junho de 2019



QR - Mobile Link
MERCADOS DA BM&F

APLICAÇÕES OU OPERAÇÕES DE RENDA VARIÁVEL

COMMODITIES - MERCADORIAS

Finalidade da BM&F

A BM&F busca colaborar com o desenvolvimento dos mercados físicos dos produtos-objeto de seus contratos. Além disso, promove uma série de atividades, visando manter mercados livres, eqüitativos e transparentes. Dentre elas, destacam-se:

  • a manutenção de local e de sistemas eletrônicos adequados à realização de operações, dotados de todas as facilidades e aprimoramentos tecnológicos necessários;
  • a regulamentação dos mercados por ela administrados;
  • a fiscalização das operações realizadas em seus pregões e sistemas eletrônicos e aquelas cuja regulamentação é de sua competência;
  • a regulamentação e a fiscalização das atividades de seus associados;
  • a divulgação, rápida e ampla, das operações realizadas em seus pregões e sistemas eletrônicos;
  • a aplicação de penalidades aos infratores das normas legais, regulamentares e operacionais;
  • a concessão de crédito operacional a seus associados, de acordo com seus programas e objetivos;
  • a defesa de seus interesses, bem como de seus associados, junto às autoridades constituídas;
  • a disseminação da cultura dos mercados de liquidação futura no País, por meio de eventos educacionais, treinamentos e publicações.

Mercado Disponível (à vista ou spot)

Modalidade reservada apenas a algumas commodities, cujos contratos têm liquidação imediata. Nesse caso, entretanto, o propósito é o de fomentar os mercados futuros e de opções, por meio da formação transparente de preços que resulta da negociação à vista.

Mercado Futuro

É aquele em que as partes assumem compromisso de compra e/ou venda para liquidação (física e/ou financeira) em data futura, tendo como característica básica o sistema de gerenciamento de posições, que engloba o ajuste diário do valor dos contratos, o qual se constitui em ganho ou prejuízo diário para as respectivas posições, e as margens de garantia. Todos os termos (especificações) sob os quais o ativo será transferido são estabelecidos pela bolsa antes de começar a negociação. Entre estas especificações estão: o ativo objeto (commodity física ou financeira), o tipo de mercado (futuro, opções etc...), o lote padrão do contrato (US$ 50.000 para dólar comercial, por exemplo), o formato em que é coado (US$ saca de 60 kg, por exemplo) e o vencimento.

Mercado de Opções

  • Mercado de Opções sobre Disponível
  • Mercado de Opções sobre Futuro
  • Mercado de Opções Flexíveis

Mercado de Opções sobre Disponível

Mercado em que uma parte adquire de outra o direito de comprar - opção de compra - ou vender - opção de venda - a commodity-objeto de negociação, até ou em determinada data, por preço previamente estipulado;

Mercado de Opções sobre Futuro

Mercado em que uma parte adquire da outra o direito de comprar - opção de compra - ou vender - opção de venda - contratos futuros de uma commodity, até ou em determinada data, por preço previamente estipulado;

Mercado de Opções Flexíveis

Semelhantes às opções de pregão, com a diferença de que são as partes que definem alguns de seus termos, como preço de exercício, vencimento e tamanho do contrato. Essas opções são negociadas em balcão e registradas na Bolsa via sistema eletrônico, com as partes também determinando se o contrato de opção de compra ou de venda terá ou não a garantia da Clearing BM&F;

Mercado a Termo

Semelhante ao mercado futuro, em que é assumido compromisso de compra e/ou venda para liquidação em data futura. No mercado a termo, porém, não há ajuste diário nem intercambialidade de posições, ficando as partes vinculadas uma à outra até a liquidação do contrato;

Mercado de Swaps

Como as opções flexíveis, são contratos negociados em balcão e registrados na BM&F via sistema eletrônico. Nesse caso, as partes trocam um índice de rentabilidade por outro, com o propósito de fazer hedge, casar posições ativas com posições passivas, equalizar preços, arbitrar mercados ou até alavancar posições. Para tanto, devem escolher a combinação de variáveis apropriada a sua operação e definir preço, prazo e tamanho, optando igualmente pela garantia ou não da Clearing da Bolsa;


Características Operacionais dos Mercados Futuros


Conceito de Operação

Uma mercadoria é definida como qualquer bem ou produto tangível que possa ser comercializado, compreendendo a maioria dos produtos agrícolas, como café e soja. O termo “commodity” tem sido usado de forma bem mais abrangente, para incluir diversos ativos financeiros, tais como títulos de dívida pública, a taxa de câmbio e a taxa de juros. Os contratos futuros, ou simplesmente futuros, são unidades de negociação que se constituem em acordos legais acertados no recinto de operações de uma bolsa. Todo contrato futuro implica no compromisso de receber (pelo comprador) e de entregar (pelo vendedor) o objeto do contrato, em uma data futura preestabelecida. Na prática, apenas um percentual é liquidado mediante o recebimento ou a entrega da mercadoria física.

O ojetivo básico de um contrato futuro é oferecer um mecanismo eficiente de proteção de preço ou de taxa de juros, para agentes expostos às flutuações adversas nos preços do ativo objeto do contrato futuro. Ou seja, os mercados futuros viabilizam a transferência de riscos, necessariamente suportados pelos agentes econômicos. As cotações a futuro formam também uma expressão crível dos níveis de preços esperados. Esse elemento de visibilidade proporciona importante contribuição às projeções econômicas e ao planejamento financeiro.

À medida que os preços futuros se aproximam do vencimento do contrato, eles convergem para os preços à vista. Sendo assim, a operação de hedging oferece uma valiosa proteção de preços quer para quem produz uma determinada commodity quer para quem consome tal commodity. O hedging torna viável que os agentes econômicos tomem decisões sabendo que estão protegidos contra a oscilação dos preços. Consequentemente, eles obtêm condições de comercializar seus produtos de forma eficiente e com melhores expectativas. Além da fixação de um preço antecipado de compra ou de venda para seu produto, os mercados futuros propiciam ao hedger uma maior possibilidade de alavancagem financeira, pois os bancos podem incrementar seus empréstimos para empresas cuja produção tenha sido coberta no mercado futuro, e também com visibilidade de preços sendo um fator valioso na tomada de decisões dos agentes econômicos.


O Papel da Clearing

Na Bolsa de Mercadorias e Futuros – BM&F, os serviços de clearing são prestados por um departamento interno que é responsável pelo registro de operações e controle de posições, compensação de ajustes diários, liquidação financeira e física dos negócios e administração de garantias. Esses serviços são proporcionados aos usuários ou aos clientes diretos da BM&F – Membros de Compensação, Corretoras de Mercadorias e Operadores Especiais.

Toda estrutura da clearing é montada com a finalidade de garantir os negócios para os investidores finais que realizam as operações na Bolsa. Para dar a segurança necessária, a BM&F assume a contraparte de todas as operações, oferecendo subsídio o gerenciamento do risco das posições de todos os participantes de seus mercados.

Na BM&F, depois de realizados os negócios em pregão ou em sistema eletrônico, as corretoras especificam os comitentes atribuindo-lhe os membros de compensação aos quais estão vinculados. Dessa forma, a Bolsa tem o conhecimento das posições e do risco existentes em nome de cada comitente.

Na fase de consolidação de posições, a BM&F se interpõe entre comprador e vendedor, assumindo o papel de contraparte de todos os comitentes: ela é compradora de todos os vendedores e vendedora de todos os compradores. Portanto a bolsa assume para si o risco de eventual inadimplência dentro do sistema.

a) Liquidação de Operações em D+1 – Consiste no volume financeiro liquidado no dia útil seguinte entre os membros de compensação e a BM&F. Se um dos participantes deixar de honrar seus débitos referentes ao dia anterior, as providências cabíveis serão tomadas imediatamente, sendo acionado prontamente todo o processo de execução de garantias.

b) Ajustes Diários – Representa um mecanismo ao qual todos os usuários dos contratos futuros devem se submeter. Através dele, as posições mantidas são acertadas financeiramente todos os dias, conforme lucro ou prejuízo em relação ao dia anterior. Com isso, os perdedores liquidam seus débitos junto a Bolsa, que os transfere aos ganhadores, de forma que todas as posições assumidas permaneçam ajustadas ao preço corrente do mercado.

c) Margem de Garantia – É o depósito requerido de todos os comitentes que detenham posições de risco em aberto, visando assegurar o cumprimento de todos os contratos em aberto. Os valores são depositados junto a bolsa, através do membro de compensação, até o dia útil seguinte ao da realização das operações.


Características Operacionais do Mercado de Opções

O mercado de Opções teve seu desenvolvimento nas bolsas americanas, seu maior impulso decorreu do surgimento da Chicago Board Options Exchange (CBOE).

As Opções são uma das modalidades operacionais que compõem o mercado de derivativos, que são instrumentos financeiros que permitem a transferência do risco entre os participantes do mercado.

Este risco acima mencionado refere-se ao risco de mercado, ou seja, aquele que envolve oscilações de preço.

Definições:

Opções: São contratos financeiros onde são negociados direitos e obrigações sobre um ativo por um determinado preço até uma data específica.

Ativo Objeto: É o ativo que se está negociando: Ações, Ouro, Taxa de juros, Imóveis, Moedas, Agropecuários, Energia, etc.

Titular: É o detentor da opção, comprador, é aquele que possui o direito de exercício.

Lançador: É o vendedor da opção, portanto, é aquele que possui obrigações perante o titular.

Existem 2 tipos de Opções:

Opção de Compra: (CALL) Opção que fornece ao seu titular o direito de comprar o Ativo Objeto e consequentemente ao lançador a obrigação de vender o Ativo Objeto ao titular.

Opção de Venda: (PUT) Opção que fornece o direito ao titular de vender o ativo objeto e ao lançador da opção a obrigação de comprar o ativo objeto.

Prêmio: É o valor da opção que é negociado entre as partes no pregão viva voz, sistema eletrônico ou em mercado de balcão. É o valor pago pelo titular para ter um direito e é o valor recebido pelo vendedor e portanto este terá uma obrigação com o titular.

Preço de Exercício: Preço pelo qual o titular poderá exercer seu direito:
Comprar o ativo objeto se for opção de compra
Vender o ativo objeto se for opção de venda

Data de Exercício: Último dia no qual a opção poderá ser exercida.

Definição Completa:

Comprador de uma Opção de Compra: É o titular que tem o direito de comprar o ativo objeto por um preço de exercício até ou na data de exercício.

Vendedor de uma Opção de Compra: É o lançador, possui a obrigação de vender o ativo objeto por um preço de exercício até ou na data do exercício.

Comprador de uma Opção de Venda: É o titular que tem o direito de vender o ativo objeto por um preço de exercício até ou na data de exercício.

Vendedor de uma Opção de Venda: É o lançador, possui a obrigação de comprar o ativo objeto por um preço de exercício até ou na data de exercício.

Deve-se esclarecer que o detentor da opção além da alternativa de exercer seu direito poderá vender a opção no mercado zerando assim sua posição na bolsa. Isto é possível pelo fato das opções quando negociadas em bolsa serem instrumentos intercambiáveis por possuírem padronização. Da mesma forma o vendedor pode encerrar sua obrigação através de operação reversa (comprando ação).


Estratégia de Hedge

Operação em que o produtor assegura, antecipadamente, um determinado preço pelo qual venderá ou comprará o produto que comercializa no mercado físico.

Essa operação é de vital importância para o mercado de derivativos, pois é nela que está contida a função econômica desse tipo de mercado, em que os agentes do mercado físico encontram a possibilidade de programar receitas e despesas futuras em seu negócio.

Dessa forma, o mercado torna-se ferramenta essencial para que esses agentes possam, de maneira mais eficiente, avaliar seus investimentos.


Operações de Spreads

Trata-se de uma operação em que se assume, simultaneamente, uma posição comprada e uma posição vendida em dois contratos futuros diferentes. Dessa forma, procura-se ganhar com o aumento ou diminuição da diferença de preços entre os dois contratos.

As operações de spreads podem envolver, basicamente, contratos futuros relativos a uma commodity (dois vencimentos diferentes) ou a duas commodities (mesmo vencimento e mercados diferentes).

É uma operação que traz grandes vantagens, como:

  • Menor risco, pois dependendo dos dois contratos que são escolhidos, existe uma correlação entre eles e a posição de risco se refere somente à diferença e não às grandes oscilações que os preços dos diferentes contratos podem sofrer.
  • Por envolver menor risco, a Bolsa cobra menos margem de garantia para essa operação.

(...)

Quer ver mais! Assine o Cosif Eletrônico.