início > contabilidade Ano XXI - 13 de novembro de 2019



QR - Mobile Link
TÉCNICAS UTILIZADAS POR EMPRESAS BRASILEIRAS - Avaliação do sistema contábil e de controles internos

AUDITORIA ANALÍTICA EM FACE DA AUDITORIA INDEPENDENTE

TÉCNICAS DE AUDITORIA ANALÍTICA UTILIZADAS NO BRASIL - UM ESTUDO DE CASOS

CAPÍTULO 5.4 - ANÁLISE DOS RESULTADOS DA PESQUISA EFETUADA

5.4.1 - Quadro II-AC - TÉCNICAS UTILIZADAS POR EMPRESAS BRASILEIRAS

AC. Uso das técnicas de auditoria analítica para avaliar o sistema contábil e Controles internos respectivos

Procedimentos das empresas Empresas de origem nacional
Empresa A Empresa B Empresa C Empresa D Empresa E
C.1. Definição da eficiência e eficácia dos sistemas, no que tange à prevenção e detecção de erros e irregularidades, mediante um amplo entendimento da estrutura de controle interno Não Sim Não Sim Sim
C.2. Determmação da precisão e efetividade do sistema contábil e dos controles internos para planejar os procedimentos de auditoria das demonstrações contábeis Sim Sim Sim Sim Sim
C.3. Uso das técnicas de auditoria analítica para avaliar a precisão e efetividade do sistema contábil Sim Não Sim Sim Sim
C.4. Procedimentos adotados para determinar a precisão e efetividade do sistema contábil e a decisão de testá-lo Com relação a: materialidade e volume de transações processadas Estudo e avaliação dos controles internos, Testes de aderência Análise do fluxograma do sistema, Julgamento e observação das rotinas ali encontradas e fixar nos controles-chave Revisão dos papéis de trabalho do ano anterior Testes de procedimentos limitados Exames dos fluxogramas de sistemas respectivos Determinação dos procedimentos de auditoria em "schedule" Exame dos papéis de trabalho de anos anteriores Revisão de relatório interno e entrevistas com o pessoal da empresa auditada Baseado no volume operacional, materialidade e no resultado da avaliação inicial
C.5. Cálculo da confiabilidade desejada para definir a natureza, época e extensão dos procedimentos de auditoria das demonstrações contábeis Sim Sim Sim Sim Sim
C.6. Procedimentos adotados para calcular o grau de confiança nos controles e a decisão de testá-los Através da análise do quadro geral de avaliação dos controles internos Subjetivamente, com base inclusive no "conhecimento do negócio" No planejamento global dos trabalhos, que serão complementados com avaliação dos controles internos Teste de aderência Testes substantivos Testes estatfsticos subjetivos No conhecimento do sistema de controle interno
C.7. Fatores que mais têm influenciado a determinação da confiabilidade nos controles A própria avaliação dos controles internos e o conhecimento profundo das atividades e operações do cliente O teste de aderência Limitações dos controles internos Complexidade das atividades e rotinas do sistema Observância e continuidade das normas e procedimentos estabelecidos, Treinamento do pessoal de operação e gerência do sistema O próprio conhecimento do sistema de controle.
C.8. Possibilidade de determinar a precisão e efetividade do sistema contábil e controles respectivos sem usar as técnicas de auditoria analítica Não Sim Não Sim Não
C.9. Razões que justificam a resposta anterior Clareza Objetividade Redução do tempo para análise do fluxo Os fluxogramas em si são um modo de registro e para isso são adotados dois tipos de questionários: 1) questionário de objetivos de auditoria; 2) questionário de sistemas por ciclo, sendo que este dá suporte ao primeiro É a ferramenta capaz de: 1) possibilitar o conhecimento integral do sistema; 2) identificar imediatamente as falhas do sistema; 3) determinar os pontos-chave de controle e os testes necessários A aplicação de técnicas alternativas (questionários e memorandos) apesar de menos eficiente, possibilita desempenhar essa tarefa Somente as técnicos de auditoria analítica possibilitam o conhecimento necessário do fluxo de informações da empresa
C.10. Problemáticas que dificultam o uso das técnicas de auditoria analítica Falta de literatura em nosso idioma Alto custo para o treinamento do pessoal Obsolescência Falta de literatura em nosso idioma Alto custo na elaboração do fluxograma Inexistência de sistemas de controle por parte de nossas empresas Alto custo na elaboração Falta de literatura em do fluxograma nosso idioma
C.11. Uso de outras ferramentas para avaliar a precisão e efetividade do sistema contábil e dos controles internos respectivos Não Sim Sim Sim Sim
C.12. Situações em que o uso de outras ferramentas tem sido considerado fundamental -- Em auditoria de: 1) pequenas empresas; 2) uso de playscript para as médias e grandes empresas Ausência de sistemas de controle completo Falhas encontradas em sistemas anteriormente fluxogramados Inexistência de técnicos especializados em auditoria analítica na equipe Exames realizados em pequenos ambientes e com controles sob a responsabilidade direta da gerência superior O questionário é usado conjuntamente com os fluxogramas em trabalhos mais complexos e individualmente em trabalhos de pequeno porte

(...)

Quer ver mais! Assine o Cosif Eletrônico.