Ano XXV - 22 de julho de 2024

QR Code - Mobile Link
início   |   textos
BACEN COMPLICANDO O PROBLEMA GERADO PELO DESEMPREGO EM MASSA


BANCO CENTRAL TEM LUCRO DE R$ 469,6 BILHÕES EM 2020

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS - MANIPULAÇÃO DE RESULTADOS E DA COTAÇÃO DO DÓLAR

São Paulo, 27/02/2021 (Revisada em 20/02/2024)

Referências: Veja no Sumário

TEORIA DA CONSPIRAÇÃO - COMO AGE UM FISCALIZADOR

2. BACEN COMPLICANDO O PROBLEMA GERADO PELO DESEMPREGO EM MASSA

2.1. O DESEMPREGO EM MASSA GERADOR DE INADIMPLENTES

O Desemprego em Massa provocado pela Política Econômica Ortodoxa adotada no governo Michel Temer para combate à Inflação, seguida religiosamente no Governo Bolsonaro, causou a inadimplência de mais de 60 milhões de pessoas inscritas em Cadastros de Devedores.

2.2. A INADIMPLÊNCIA PROVOCOU A INSOLVÊNCIA DO SISTEMA FINANCEIRO

Esse alto índice de inadimplência levou as instituições do sistema financeiro a receberem dos cofres públicos pelo menos um trilhão e quinhentos bilhões de reais, para tirá-las da insolvência (pré-falência), cujo dinheiro liberado, segundo declaração do Ministro da Economia, não foi aplicado no financiamento do consumo, tal como era originalmente pretendido por aquele ministério.

2.3. OS PROBLEMAS CAUSADOS PELOS DIREITOS DE LIBERDADE ECONÔMICA

Isto assim ocorreu em razão da aprovação da desastrosa Lei tida como Declaração do Direito de Liberdade Econômica, promovida pelos Neoliberais defensores do ESTADO MÍNIMO. Essa Lei praticamente passou a impedir a governabilidade do nosso País.

Essa governabilidade ficou a mercê de interesses particulares de vários segmentos operacionais supervisionados (não mais fiscalizados) por Agências Reguladoras totalmente independentes das Decisões Nacionais. O Banco Central passou a ser uma dessas Agências Reguladoras Independentes. Assim, deixou de ter a obrigação de fazer cumprir o disposto na legislação vigente, tornando-se mera representante dos detentores do Poderio Econômico.

Em síntese, os Aentes do MERCADO passaram a comandar a POLÍTICA MONETÁRIA que somente a eles interessa.

2.4. A PETROBRÁS CONSIDERANDO O BRASIL COMO PAÍS ESTRANGEIRO

A Petrobrás, por exemplo, ao transformar o preço dos combustíveis em dólares, enquanto os nossos trabalhadores recebem seus salários em reais constantemente desvalorizados, desde o Governo de Michel Temer vem considerando o Brasil como PAÍS ESTRANGEIRO. Isto poderia significar que a Petrobrás já deixou de ser uma empresa estatal brasileira.

2.5. EM MEIO À RECESSÃO, BACEN TIRA DINHEIRO DE CIRCULAÇÃO

No entanto, num momento como este vivido desde 2016, em que a RECESSÃO vem aproximando-se da DEPRESSÃO geradora de Extrema Miséria e Criminalidade, tornou-se inexplicável que (mediante a venda de dólares) o Banco Central tenha retirado de circulação perto de R$ 500 bilhões de reais, que seriam necessários para um pequeno aumento do bem-estar daqueles miseráveis. Esses R$ 500 bilhões seriam necessários ao financiamento do consumo gerador dos empregos que possibilitariam o aumento da produção nacional e das vendas no mercado interno.

2.6. DIANTE DA INADIMPLÊNCIA, BANCOS DEIXAM DE FINANCIAR O CONSUMO

De outro lado, os próprios agentes do sistema financeiro poderiam fazer o mesmo que fez o Banco Central, deixando de financiar o consumo necessário à Recuperação da Economia tão debilitada pelo Desemprego em Massa usado como meio de combate à inflação.

2.7. A INFLAÇÃO É CRIADA POR EMPRESÁRIOS INESCRUPULOSOS

Contudo, tradicionalmente sabe-se que a inflação só acontece quando inescrupulosos empresários resolvem especular, por meio da cobrança de altos preços pelo consumido pela parcela menos afortunada da população.

Esse artificial processo inflacionário sempre tem como objetivo o mesquinho interesse de mais rápido enriquecimento, com a consequente concentração da riqueza nacional nas mãos de poucos (0,5% da população brasileira, cerca de 1 milhão de pessoas).

2.8. A INTERNACIONALIZAÇÃO DO CAPITAL DE SONEGADORES DE TRIBUTOS

O exposto poderíamos dizer que tal aplicação em dólares (vendidos pelo BACEN) seria usada por seus compradores para remessas ao exterior (blindagem fiscal e patrimonial = ocultação de bens, direitos e valores).

Portanto, se ocorressem tais remessas, haveria indícios de verdadeiro Desfalque no Tesouro Nacional, cujo valor internacionalizado, pode ser usado como CAPITAL ESTRANGEIRO para compra de eventuais empresas estatais privatizadas, consubstanciando-se ainda como Desfalque no Patrimônio Nacional.

Mas, os nossos experientes gestores das Políticas Econômica e Monetária não conseguiram perceber que o descrito poderia ocorrer. Se perceberam e nada fizeram, podem ser considerados como cúmplices dos desfalques efetuados.







Megale Mídia Interativa Ltda. CNPJ 02.184.104/0001-29.
©1999-2024 Cosif-e Digital. Todos os direitos reservados.