início > textos Ano XX - 20 de setembro de 2019



QR - Mobile Link
A DEVASTAÇÃO DO BRASIL SEMPRE BENEFICIOU OS EUROPEUS DESDE 1500

A DEVASTAÇÃO DO BRASIL SEMPRE BENEFICIOU OS EUROPEUS DESDE 1500

FUNDO AMAZÔNIA DEVERIA TER CONTRIBUIÇÃO DE US$ 10 BILHÕES MENSAIS

São Paulo, 05/07/2019 (Revisada em 25/08/2019)

Referências: Incapacidade Administrativa Federal, Estadual e Municipal = Privatização e Terceirização, Incapacidade de Gerenciamento das Políticas Econômica, Monetária e Fiscal, Recessão, Desemprego, Inadimplência. Falta de Arrecadação Tributária, Desigualdade, Preconceito, Discriminação, Segregação Social, Falência do Sistema Financeiro. Empréstimos do FMI. Mercado de Câmbio Flutuante. Sonegação Fiscal, Evasão de Divisas, Importações maiores que as Exportações, Déficit no Balanço de Pagamentos.

A DEVASTAÇÃO DO BRASIL SEMPRE BENEFICIOU OS EUROPEUS DESDE 1500

  1. FUNDO AMAZÔNIA DEVERIA TER CONTRIBUIÇÃO DE US$ 10 BILHÕES MENSAIS
  2. EXTINÇÃO DO FUNDO AMAZÔNIA PÕE EM RISCO ACORDO ENTRE UE E MERCOSUL
  3. AS CONSEQUÊNCIAS DE PEQUENA MONTA CASO O ATUAL FUNDO AMAZÔNIA ACABE
  4. AS CRÍTICAS DO PRESIDENTE JAIR BOLSONARO AO DITO NEOCOLONIALISMO

Coletânea por Américo G Parada Fº - Contador - Coordenador do COSIFE

1. FUNDO AMAZÔNIA DEVERIA TER CONTRIBUIÇÃO DE US$ 10 BILHÕES MENSAIS

É indiscutível que os países do Hemisfério Norte têm uma imensa dívida a ser paga ao Brasil e aos demais países do chamado de Terceiro Mundo. Por quê?

Porque são esses países do Terceiro Mundo os que têm sustentado aqueles do Hemisfério Norte Ocidental desde o Século XV e também passaram a sustentar as potências asiáticas depois que os europeus concederam as falsas independências aos seus colonizados.

No texto denominado Aquecimento Global - Verdade ou Mentira? que versa sobre Nova Teoria que Salva Poluidores do ônus de Pagar por CRÉDITOS DE CARBONO, estão as explicações do porquê de se dizer que os países desenvolvidos devem contribuir pelo menos com US$ 10 bilhões MENSAIS para que somente a Amazônia seja conservada.

Os demais países do Terceiro Mundo também têm direito a semelhante indenização.

2. EXTINÇÃO DO FUNDO AMAZÔNIA PÕE EM RISCO ACORDO ENTRE UE E MERCOSUL

Por Daniela Chiaretti (Colaborou Gabriel Vasconcelos, do Rio). Publicado por Valor Econômico em 05/07/2019. Extraído do CLIPPING do Banco Central do Brasil.

O fim do Fundo Amazônia é ameaça concreta para que o acordo de livre-comércio Mercosul & União Europeia não decole. A chance de as negociações em torno do maior mecanismo de proteção à floresta tropical desandarem, acenada pelos doadores pela primeira vez nesta semana, é péssima para a floresta e sua biodiversidade, agricultores familiares, ribeirinhos e indígenas, Estados e municípios. Desde a semana anterior a 05/07/2019 correm risco também a agricultura e a indústria. A extinção do fundo é o sinal que falta para que o acordo de livre comércio não seja ratificado em Parlamentos europeus.

Do ponto de vista da Noruega, o Fundo Amazônia funcionou bem até agora”, lê-se em comunicado no site do governo norueguês publicado em 04/07/2019 . “Seria um revés se o fundo terminasse”, segue a nota atribuída ao ministro do Clima e Meio Ambiente, Ola Elvestuen. “Entrar em uma forma de cooperação que enfraquece a fundação de nossa parceria não é uma opção”, continuou.

NOTA DO COSIFE:

Diante de tantas incerteza e chantagens internacionais, resta-nos saber se esse acordo de LIVRE COMÉRCIO poderia apresentar-se como uma nova forma de NEOCOLONIALISMO da América situada no Atlântico Sul. Esse NEOCOLONIALISMO também já atinge os países africanos banhados pelo Oceano Atlântico abaxio da linha do Equador.

Significativa parcela da população do Terceiro Mundo, pelo menos a mais letrada, sabe muito bem que desde o Século XV a população do Primeiro Mundo precisa muito mais de nós do que nós deles.

Eles sempre foram abastecidos por nossas riquezas naturais, que os transformou em países desenvolvidos, e como recompensa negativa, mediante a Inversão de Valores, ficamos com o subdesenvolvimento perpétuo.

Justamente em razão dessa possível exploração indiscriminada das nossas riquezas naturais pelos europeus, foi criado sistema de proteção ao oceano Atlântico Sul que foi denominado como AMAZÔNIA AZUL em associação com países africanos, cujo tratado realizado durante o Governo Lula não é divulgado pelos meios de comunicação brasileiros. É apenas comentado no exterior.

3. AS CONSEQUÊNCIAS DE PEQUENA MONTA CASO O ATUAL FUNDO AMAZÔNIA ACABE

Caso o fundo acabe, a Noruega poderia resgatar, de imediato, APENAS R$ 1,4 bilhão que não foi empenhado, diz uma fonte do BNDES. Haveria ainda cerca de APENAS R$ 700 milhões previstos para projetos ativos com desembolsos previstos.

Foi por iniciativa do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, que o Fundo Amazônia começou a ser reavaliado em março, com um pente-fino nas operações do BNDES.

O mecanismo apoiou 103 projetos na Amazônia com SOMENTE R$ 1,8 bilhão de apoio. A Noruega contribuiu com 93,8% do total. Os recursos para projetos que preservem e desenvolvam a Amazônia de maneira sustentável não são empréstimos — são doações. “Estamos preocupados com os recentes acontecimentos no Brasil e os informes sobre o aumento do desmatamento”, seguiu o ministro norueguês.

NOTA DO COSIFE:

A NORUEGA E OS DEMAIS PAÍSES DO HEMISFÉRIO NORTE DEVERIAM CONTRIBUIR COM PELO MENOS R$ 10 BILHÕES MENSAIS SÓ PARA O BRASIL, sem contarmos a dívida que ainda devem pagar para o restante do TERCEIRO MUNDO.

O outro doador do Fundo Amazônia é a Alemanha, o maior parceiro socioambiental do país com um portfólio de € 2 bilhões entre doações, acordos bilaterais e empréstimos. Estes recursos ajudam a construir o metrô baiano, o VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) no Rio de Janeiro, parques eólicos e projetos de energia solar no Sul, para citar apenas alguns.

Antes de ir a Osaka [para a reunião do G-20], a chanceler Angela Merkel defendeu o acordo UEMercosul no nosso Parlamento onde existem muitos críticos do acordo, assim como na nossa sociedade civil”, disse ao Jornal Valor Econômico o embaixador alemão Georg Witschel. “Eles temem que o acordo resulte em um aumento do desmatamento”, seguiu. “Tendo isso em vista, seria muito importante que a taxa do desmatamento diminuísse. Uma alta dificultaria a defesa e a ratificação do acordo na Alemanha e na Europa. Será usado como argumento pelos críticos para tentar evitar que entre em vigor”.

As reações ao acordo acertado no Japão têm sido cotidianas. A deputada do Partido Verde alemão Katharina Dröge publicou na quarta-feira próxima a 05/07/2019 um artigo no jornal “Die Tageszeitung” dizendo que o acordo UE-Mercosul terá graves consequências para o clima e os direitos humanos. O Partido Verde fortaleceu-se nas eleições europeias e ganha cada vez mais espaço nas pesquisas.

Na semana seguinte a 05/07/2019, segundo o anunciado, chegaria ao Brasil o ministro alemão Gerd Müller, da Cooperação Econômica e do Desenvolvimento. É na sua pasta que estão vinculados os financiamentos da cooperação alemã.

NOTA DO COSIFE:

Aliás, o Governo Alemão, já que está tão interessado em ajudar, poderia, por exemplo, ajudar também GRÉCIA, pagando uma dívida antiga, existente desde quando o imperialismo alemão arrasou países europeus, assim como também fez os Estados Unidos no Oriente Médio e no restante da Ásia.

4. AS CRÍTICAS DO PRESIDENTE JAIR BOLSONARO AO DITO NEOCOLONIALISMO

O governo Bolsonaro fornece argumentos diversos para que deputados franceses e alemães possam dizer que seus países compram desmatamento embutido em produtos brasileiros e boicotem o acordo.

O enfraquecimento dos órgãos ambientais, o relaxamento da fiscalização, a simpatia a projetos de lei que querem acabar com a Reserva Legal e a narrativa anti-indígena dão combustível a conflitos na Amazônia. A estação seca que inicia é propícia ao desmate. Em junho, a alta foi chocante — 88% maior que em junho de 2018.

Salles disse em entrevista na quarta-feira próxima a 05/07/2019 (à noite) que o Brasil tem 5 milhões de km2 na Amazônia, que 8 mil km2 foram desmatados em 2018 e que isso dá 0,002% — “a terceira casa depois do zero”. Minimizou uma derrubada de árvores em área maior à do Distrito Federal e errou a conta — que seria 0,2%. Quase 20% da cobertura vegetal da Amazônia já foi cortada. Está longe de ser pouco.

NOTA DO COSIFE:

Desde o ano de 1500, toda essa devastação não só da AMAZÔNIA como de todo o TERCEIRO MUNDO tem sido promovida inicialmente pelos COLONIZADORES EUROPEUS e depois pelos nossos demais NEOCOLONIZADORES.

Eles são considerados PAÍSES RICOS e DESENVOLVIDOS justamente porque toda essa DEVASTAÇÃO das nossas RESERVAS NATURAIS os BENEFICIOU.