início > textos Ano XX - 15 de setembro de 2019



QR - Mobile Link
O PARTIDO FEUDAL

O PARTIDO FEUDAL

OS PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DO FEUDALISMO E CORONELISMO

São Paulo, 14 de agosto de 2003 (Revisado em 16-09-2016)

Referências: Noções sobre Feudalismo e Coronelismo (coronelato), Comentários sobre ação inusitada de defensor do Feudalismo, Movimento dos Latifundiários contra a Reforma Agrária, Queremos os Ricos no Governo, Escravidão - Regime Escravocrata, Preconceito e Discriminação.

Por Américo G Parada Fº - Contador - Coordenador do COSIFE

COMENTÁRIOS SOBRE A AÇÃO INUSITADA DE DEFENSOR DO FEUDALISMO

No dia 11/08/2003 a Prefeita de São Paulo foi vítima de afronta por um indivíduo que disse pertencer ao Partido Feudal. O que isso pode significar?

Vejamos primeiramente a circunstância em que o fato ocorreu.

A Prefeita discursava na Faculdade de Direito em comemoração ao centenário do Diretório Acadêmico, quando um jovem arremessou uma galinha na sua direção. É bom lembrar que o pátio da tradicional Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, em São Paulo - SP é considerado território independente para qualquer tipo de manifestação política, inclusive nos tempos da ditadura militar.

O Ministro da Justiça, um dos eis alunos presentes ao evento, logo interpretou a coisa como uma ofensa pessoal de baixo calão, o que as emissoras de televisão, sempre privilegiando os escândalos, aproveitaram para fazer alarde. Mas, esta versão da ofensa pessoal logo foi desmentida pelo agressor. Disse ele que nada tinha contra a reputação da Prefeita. A galinha era o símbolo de sua organização, o Partido Feudal. Talvez seja aquela a famosa “galinha dos ovos de ouro”, que tanta riqueza deu aos membros da elite brasileira.

Por sua vez, o ministro reconheceu a infelicidade de sua dedução.

Eu também posso ser infeliz na minha dedução neste texto, porém vejamos.

O que é um Partido?

É uma organização ou facção cujos membros programam e realizam uma ação comum com fins políticos e sociais. É uma associação ou liga de pessoas unidas pelos mesmos interesses, ideais e objetivos.

O que defende o Partido Feudal?

Isto, o citado rapaz não disse. Porém, com a maior cara de pau subiu ao palanque para dizer, quando foi interrompido por um dos organizadores do evento.

Os repórteres das emissoras de televisão que o entrevistaram, ou os bastidores da notícia, também não o deixaram dizer.

Os “Bastidores da Notícia” é o lado encoberto, oculto, que age no interior de certas organizações, e que, através da manipulação das gravações não deixa que a notícia completa chegue ao público.

Então, vamos especular perguntando:

O Partido Feudal seria algum tipo de instituição que defende de forma preconceituosa e discriminatória a tradição, a família e a propriedade?

Provavelmente.

Aliás, já existe uma organização com essa finalidade fundada no Brasil e que tem ramificações também na Europa.

Como tenho escrito, as elites brasileiras não concordam de forma alguma com a eventual mudança do Brasil pertencente a no máximo vinte mil privilegiados ricos. Alguém disse isso. Não lembro exatamente quem. Por isso não vou citar nomes, para não cometer injustiças.

Na plateia, uma turma acenava à Prefeita com notas de um dólar.

Isto faz parte um de grande protesto patrocinado contra a Prefeita pela elite paulista em represália à criação de novas contribuições ou novos impostos que seriam pagos somente pelos mais ricos.

Por sua vez, as elites brasileiras acham que devem continuar sendo agraciadas com subsídios, isenções e incentivos fiscais.

O mesmo tipo de protesto ocorreu no governo da Prefeita Erundina, que também era do Partido dos Trabalhadores - PT, quando ela aumentou o IPTU dos mais ricos.

NOÇÕES SOBRE FEUDALISMO E CORONELISMO

O Dicionário Aurélio eletrônico nos mostra que a palavra FEUDAL significa “pertencente ou relativo a, ou próprio de feudo, ou do feudalismo”.

Feudalismo é o regime resultante dum enfraquecimento do poder central, e que une estreitamente autoridade e propriedade da terra, estabelecendo entre vassalos e suseranos uma relação de dependência.

Suserano é o senhor feudal. Aquele que possui um feudo, do qual outros dependem. São os soberanos que têm a vassalagem de Estados aparentemente autônomos.

Vassalagem é o tributo pago pelos vassalos ao senhor feudal. E Vassalo é aquele que paga o tributo a alguém.

No Brasil, o feudalismo da Idade Média lembra o “coronelismo” dos tempos do Império e da República Velha, que é o poder ou influência do “Coronel” na vida política e social em certas regiões. O coronelato tinha grande influência política, porque os fazendeiros se utilizavam do "voto de cabresto" para eleger os políticos que iriam defender seus interesses privados no Poder Legislativo. Veja mais detalhes no texto Queremos os Ricos no Governo.

“Coronel” era o chefe político, em geral proprietário de terra, do interior do Brasil, que era nomeado pelo Imperador do Brasil, este na qualidade de chefe supremo das Forças Armadas.

O Atlas de História do Brasil, elaborado por Flávio de Campos e Miriam Dolhnikoff - Editora Scipione (1993), pág. 43,  mostra a região e o sobrenome das principais famílias membro do “coronelismo”.

MOVIMENTO DOS LATIFUNDIÁRIOS CONTRA A REFORMA AGRÁRIA

Se o tal Partido Feudal não for uma antítese ao feudalismo ou ao “coronelismo”, fatalmente a especulação aqui desenvolvida será verdadeira.

Mais tarde, quando perguntado se não tinha medo de uma punição, o agressor da Prefeita declarou, perguntando:

Se o MST (Movimento dos Sem Terra) faz o que faz e fica sem punição, por que razão eu seria punido?

Diante dessa resposta interrogativa, ficam mais claras as verdadeiras intenções do tal Partido Feudal.

Na realidade, eles estavam a pregar o mesmo que pregavam a TFP - Tradição, Família e Propriedade e a UDR - União Democrática Ruralista, organizações que são ferrenhamente contrárias à reforma agrária e à ascensão cultural, educacional e patrimonial dos menos favorecidos.

PRECONCEITO E DISCRIMINAÇÃO - ESCRAVIDÃO

Na verdade, a Prefeita de São Paulo estava fazendo algumas obras que incomodavam as elites, como por exemplo as unidades escolares de primeiro mundo que foram construídas somente nas regiões mais pobres da cidade. Essas regiões foram abandonadas pelos governantes extremistas de direita que assim acabaram gerando guetos de marginalidade e criminalidade na periferia da cidade de São Paulo.

Aliás, o ex-governador do Rio de Janeiro, Leonel Brizola, também sofreu as mesmas críticas dos preconceituosos e elitistas moradores da Zona Sul carioca quando construiu os “Cieps” nas regiões mais pobres do Estado do Rio de Janeiro.

Por que as elites são sempre e de forma absolutamente reacionária contra tudo que possa beneficiar o povo?

Parece que essas elites ainda sentem a dor de terem perdido seus escravos a partir de quando foi abolida a escravidão pela Princesa Isabel, em 13/05/1888.

Agora essas elites não querem como escravos somente os negros, mas, sim toda a massa de pobres e miseráveis que eles mesmos criaram e que se encontram encurralados nas favelas e nos bairros mais pobres das grandes cidades e no interior servindo como “bóias frias” e até como quase escravos em fazendas distantes.

Do outro lado, os bandidos estrategicamente instalados nas favelas, aproveitando-se da fraqueza dos herdeiros das elites oligárquicas pelas drogas. Estão formando seus exércitos para seduzir com dinheiro fácil e abundante os desempregados e assim ameaçando com crescente terrorismo o seio familiar das sociais mais abastadas.

Veja o texto intitulado Queremos os Ricos no Governo, onde é comentada a estrutura feudal (sistema de coronelato) existente no Brasil no período do Império e da República Velha.