início > cursos Ano XXI - 6 de dezembro de 2019



QR - Mobile Link
Aplicações em Títulos Públicos por Secretaria de Fazenda Estadual 2

BLINDAGEM FISCAL E PATRIMONIAL - ARTIFÍCIOS UTILIZADOS POR SONEGADORES

4 - CRIMES EMPRESARIAIS, DE SERVIDORES PÚBLICOS E DE PROFISSIONAIS DO MERCADO

4.2 - EXEMPLOS PRÁTICOS DE CRIMES DE SERVIDORES PÚBLICOS

4.2.2 - DESFALQUE EM SECRETARIA DE FAZENDA

4.2.2.1 - Aplicações em Títulos Públicos

4.2.2.1.1 - QUEM TEVE PREJUÍZO NESSAS OPERAÇÕES?

Embora a DTVM Verde apareça como prejuízo de $41 milhões, ela não o sofreu. Apenas zerou lucro obtido em outra operação efetuada pela Gangue.

A Secretaria de Fazenda também não perdeu. Apenas deixou de ganhar porque o Banco do Outro Estado estava disposto a pagar $413 milhões pela captação do dinheiro. A Secretaria de Fazenda só recebeu $35 milhões.

A diferença entre os dois valores mencionados, foi abocanhada pelo Chefe do Cerimonial ("testa de ferro"), que depositou o dinheiro escritural no SWIFT Financial em nome de uma empresa offshore de paraíso fiscal (Blindagem Fiscal e Patrimonial).

Por conta da Gangue, o SWIFT aplicou a dinheirama no Banco do Outro Estado, que passou a administrar os investimentos da Gangue escondida numa empresa offshore de paraíso fiscal.

O interceptador também poderia ser um Fundo de Investimentos no Exterior (Fundo offshore) que emite cotas "ao portador", bastando que alguém, que detenha o certificado de investimento, o apresente para resgate num banco credenciado, como se estivesse sacando um cheque administrativo "ao portador".


(...)

Quer ver mais! Assine o Cosif Eletrônico.