início > textos Ano XXI - 18 de outubro de 2019



QR - Mobile Link
O CAPITALISMO BANDIDO DOS BARÕES LADRÕES - CONSIDERAÇÕES

POISON PILL - ACIONISTAS MINORITÁRIOS SÃO VERDADEIRAS PÍLULAS DE VENENO

A CRISE PROVOCADA POR NEOCOLONIZADORES PRIVADOS ESTABELECIDOS EM PARAÍSOS FISCAIS

São Paulo, 25/01/2018 (Revisada em 10/07/2018)

7. O CAPITALISMO BANDIDO DOS BARÕES LADRÕES

  1. CONSIDERAÇÕES SOBRE OS MEGALOMANÍACOS EXECUTIVOS
  2. OS FUNDOS DE HEDGE COMO UMA FALSA PROTEÇÃO AO RISCO DOS INVESTIMENTOS

Por AMÉRICO G PARADA Fº - Contador - Coordenador do COSIFE

7.1. CONSIDERAÇÕES SOBRE OS MEGALOMANÍACOS EXECUTIVOS

Tal como já foi mencionado neste texto, principalmente a partir da década de 1990 muito foi feito para que fossem combatidas as artimanhas engendradas no chamado de Capitalismo Bandido dos Barões Ladrões. Mas, muitos desses barões não faliram depois de descobertos.

Muitas empresas chegaram à falência não por culpa de seus controladores mas sim por culpa de seus megalomaníacos executivos, visto que estes praticavam a chamada de Contabilidade Criativa para aumento de seus ganhos pessoais em detrimento da empresa e de seus investidores. Parece evidente que esses executivos ficaram sem seus empregos depois de descobertas as suas falcatruas que resultaram a expedição do citado SOX.

A partir daí verificou-se que o surgimento de entidades administradoras de carteiras ou de fundos de investimentos, quase todos criados em paraísos fiscais porque muitos países, como também o Brasil, não tributam os rendimentos de não residentes também denominados como residentes ou domiciliados no exterior.

Presume-se que na maior parte dos casos, os tais executivos demitidos em razão de seus megalomaníacos atos que se transformaram em crimes ou fraudes contra investidores passaram a ser os administradores de tais carteiras ou fundos de investimentos.

7.2. OS FUNDOS DE HEDGE COMO UMA FALSA PROTEÇÃO AO RISCO DOS INVESTIMENTOS

Verificou-se também uma grande corrida para os Fundos de Hedge que apregoavam a garantia de baixo risco de perdas para os investimentos nos mercados financeiro e de capitais.

Era que os pequenos e médios investidores mais precisavam, inclusive os grandes investidores institucionais como são os fundos de pensão e as companhias seguradoras e resseguradoras que também aplicam as suas reservas atuariais ou provisões técnicas no mercado financeiro e de capitais.

Em 2008 todos aqueles que investiram em Fundos de Hedge sediados em paraísos fiscais, com a certeza de que estavam protegidos, mais uma vez sofreram volumosas perdas (irreversíveis porque os fundos faliram), inclusive os beneficiários de Fundos de Pensão.

PRÓXIMO TEXTO: O NEOCOLONIALISMO PRIVADO DOS CAPITALISTAS SEM CAPITAL


(...)

Quer ver mais! Assine o Cosif Eletrônico.